Depois da derrota traumática no encontro disputado no San Siro, o Milan viajou à Andaluzia ressabiado. Um novo revés diante do Betis poderia abalar os rossoneri, justamente quando recuperam embalo e aguardam o confronto com a Juventus pela Serie A. Desta vez, porém, os milanistas não tiveram muito a lamentar. Até saíram em desvantagem, mas conseguiram buscar o empate por 1 a 1 durante o segundo tempo. O grande destaque da noite ficou para o belo gol dos beticos, em trama finalizada por Giovani Lo Celso – sério candidato à melhor contratação dos clubes espanhóis nesta temporada.

O tento do Betis saiu logo aos 12 minutos. Aconteceu em uma troca de passes consciente, acuando o Milan ao redor de sua área. A bola girou da esquerda à direita, até que o passe viesse na medida para Lo Celso fuzilar. Os verdiblancos ainda teriam chances de anotar o segundo, claramente superiores no primeiro tempo. Os milanistas demoraram um pouco mais a dar sua resposta. O domínio dos beticos mais uma vez era amplo, fazendo valer o seu jogo de posse de bola.

Como na Itália, o Milan cresceu e começou a incomodar mais na etapa complementar. Novamente dependia do talento de Suso, o grande nome do elenco nos últimos meses. O espanhol forçou uma ótima defesa de Pau López, até arrancar o empate aos 17, em bola que alçou em direção à área e ninguém desviou antes que entrasse. Já o final do jogo terminou marcado pelas lesões, ainda que Pepe Reina tenha feito uma intervenção vital para evitar o segundo do Betis nos minutos derradeiros.

O Grupo F é um dos mais indefinidos nesta Liga Europa. O Betis está invicto e soma oito pontos, mas Milan e Olympiacos seguem na cola, ambos com sete. O Dudelange é o “bônus” da chave e ainda não pontuou. Pela qualidade do seu jogo, os verdiblancos se sugerem um passo à frente. Entretanto, considerando as incertezas sob as ordens de Gennaro Gattuso, o torneio continental pode ser muito bem-vindo aos milanistas nesta temporada.