O Union Berlim é um clube de história singular, e muito por causa de sua torcida. O envolvimento da massa salvou os berlinenses da bancarrota, permitiu a reforma de seu estádio e sempre foi uma grande força para o time cumprir sua missão dentro de campo. Nesta temporada de estreia na Bundesliga, de fato, o Estádio An der Alten Försterei era um caldeirão e os berlinenses vinham garantindo sua boa campanha graças aos resultados dentro de casa. E os jogos de arquibancadas vazias, além de custarem um bocado da própria alma do Union, também podem derrubar seu desempenho. Neste domingo, a equipe tinha um embate dificílimo com o Bayern de Munique. Até segurou os oponentes por boa parte do tempo, mas não evitou a derrota por 2 a 0, que mantém a vantagem dos bávaros na liderança.

O Union Berlim não pôde contar com o técnico Urs Fischer à beira do campo. O suíço ganhou permissão para ir ao funeral do sogro e permanecerá em quarentena. Além disso, a equipe começou com o artilheiro Sebastian Andersson no banco. Já o Bayern teve o retorno de Robert Lewandowski, lesionado durante a paralisação da liga. Pela diferença entre os times e pelo próprio estilo de jogo, era de se imaginar uma tarde de domínio e pressão dos bávaros, com os berlinenses jogando por uma bola.

O Bayern começou no controle, mas o Union encontrou seus espaços nos primeiros dez minutos, com dois lances de perigo. Quando os bávaros tiveram oportunidade de finalizar, aos 16, viram o seu gol acabar anulado. Thomas Müller até emendou às redes após cobrança de escanteio, mas o VAR flagrou o impedimento. Por mais que dominasse a posse de bola, o time de Hansi Flick não furava a barreira montada pelos berlinenses. As principais subidas aconteciam pelos lados, especialmente com Alphonso Davies na esquerda, mas o centro da área estava trancado pela equipe da capital. Neven Subotic e o goleiro Rafal Gikiewicz foram capazes de ações vitais dentro da área para safar os anfitriões.

O primeiro gol do Bayern saiu apenas aos 39 minutos, quando o próprio Subotic cometeu um pênalti sobre Leon Goretzka, na tentativa de afastar a bola da área. Lewandowski foi para a cobrança e venceu Gikiewicz, anotando seu 26° gol nesta edição da Bundesliga. O polonês está a quatro gols de superar sua melhor marca pela competição, com mais oito rodadas pela frente. Ainda assim, são 14 tentos de distância ao recorde absoluto da liga, de Gerd Müller em 1971/72.

Acomodado com a vantagem, o Bayern não acelerava muito o seu jogo. Benjamin Pavard assustou com uma finalização de longe antes do intervalo, enquanto Goretzka também bateu para fora com perigo na volta ao segundo tempo. Mas não era uma atuação muito inspirada da equipe de Hansi Flick, tanto pela solidez defensiva do Union quanto pela falta de ações mais incisivas dos visitantes. Mas não que os anfitriões fizessem muito, limitados a bolas longas, raramente incomodando Manuel Neuer do outro lado do campo.

O jogo mudou um pouco mais a partir dos 26 minutos, quando os dois treinadores mexeram em suas formações. O Union botou em campo Sebastian Andersson e também o veterano Christian Gentner. Todavia, o Bayern se deu melhor com a entrada de Kingsley Coman, garantindo mais fluidez ao ataque. O francês botou fogo nos companheiros e as chances começaram a se tornar bem mais frequentes, com Serge Gnabry também se ligando na partida. Gikiewicz faria uma boa intervenção, mas não impediria o segundo tento aos 35. Cobrança de escanteio de Joshua Kimmich, para Pavard completar de cabeça, mesmo cercado pela marcação.

A partida estava resolvida e o Bayern voltou a controlar mais a posse de bola. Mas o Union Berlim não desistiu. O time da capital quase descontou nos últimos instantes, em chute de Felix Kroos – o irmão de Toni, que saíra do banco de reservas pouco antes. Neuer fez a defesa e manteve o placar intacto. Não foi a exibição mais empolgante dos bávaros, até pelo bom futebol apresentado antes da paralisação, mas deu para o gasto e preserva o conforto na ponta da tabela.

O Bayern fecha a rodada com 58 pontos, quatro acima do Borussia Dortmund – que será o seu adversário dentro de duas semanas. As duas equipes venceram seus últimos cinco compromissos pela Bundesliga, deixando um pouco mais para trás Borussia Mönchengladbach e RB Leipzig. O Union, por sua vez, segue em uma posição favorável na tabela. Até caiu para o 12° lugar, superado pelo rival Hertha, mas está sete pontos acima da zona de rebaixamento. A próxima rodada reserva o Dérbi de Berlim dentro do Estádio Olímpico.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore