Enquanto a torcida do Bayern Munique exalta a chegada de Pep Guardiola, seu antecessor no Barcelona sai pela porta dos fundos da seleção da Arábia Saudita. A federação local anunciou a demissão de Frank Rijkaard, que comandava o país desde setembro de 2011, após campanha decepcionante na Copa das Nações do Golfo.

Os sauditas foram eliminados ainda na fase de grupos, superados por Iraque e Kuwait. Antes disso, a seleção já havia fracassado nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, caindo para Omã e Austrália na terceira etapa da competição. O espanhol Sergio López Caro substituirá o holandês no cargo.

Rijkaard conquistou apenas cinco vitórias em 22 partidas à frente da seleção, conquistando apenas 31% dos pontos disputados. E não foi o primeiro fracasso do treinador após deixar o Camp Nou. Quando passou pelo Galatasaray, o holandês fechou a Süper Lig 2009/10 na terceira posição, além de dar início à desastrosa campanha de 2009/10, quando os Aslanlar flertaram com o rebaixamento e acabaram em oitavo – ainda assim conseguiu 62% dos pontos.

Com o Barcelona, Rijkaard conquistou dois Campeonatos Espanhóis e uma Liga dos Campeões, registrando aproveitamento de 66% dos pontos. Antes disso, o técnico também passou por Sparta Roterdã (onde obteve 23% dos pontos disputados) e pela seleção holandesa (com 52% de aproveitamento).