A vitória no confronto direto com o Atlético de Madrid permitiu ao Barcelona ficar com o título do Campeonato Espanhol em sua mira. O time desperdiçou alguns pontos em rodadas recentes, mas precisa apenas fazer o simples para confirmar a conquista. E, missão cumprida nas quartas de final da Liga dos Campeões, os blaugranas tentam encaminhar a taça nacional antes de se concentrarem aos embates com o Liverpool. Como de costume sob as ordens de Ernesto Valverde, não foi um time brilhante, embora suficiente. Desta vez, ao menos, a equipe não precisou do talento de Lionel Messi para preponderar. Despontaram outros atletas importantes nesta temporada, nem sempre valorizados como merecem: Lenglet e Alba. Os defensores apareceram no ataque e evitaram maiores complicações no Camp Nou, definindo a vitória por 2 a 1 sobre a Real Sociedad. Maré favorável para os catalães anteciparem a festa na Liga.

Utilizando uma equipe mais leve, o Barcelona dominava as ações. Punha pressão na marcação e tentava se posicionar no campo de ataque. O problema era lidar com a encaixada defesa da Real Sociedad, trancando muito bem sua área. Não à toa, antes dos 30 minutos, apenas Messi tinha buscado movimentar o placar. Do outro lado, os bascos rodavam a bola quando tomavam a posse e tentavam explorar os espaços nas costas da defesa. Assim deram um susto, em lance que Marc-André ter Stegen defendeu e Willian José perdoou na sobra. O susto acordou o Barça, mais agressivo nos minutos anteriores ao intervalo. Suárez poderia ter marcado, em chute de primeira que exigiu ótima defesa de Rulli. Já aos 44, saiu o gol. Ousmane Dembélé cobrou escanteio para Clément Lenglet completar de cabeça. Alívio aos anfitriões.

A Real Sociedad voltou para o segundo tempo mantendo a sua postura valente e tentando ser mais agressiva. Rubén Pardo mandou de fora da área e o chute desviado deu trabalho a Stegen. Pois a iniciativa dos visitantes deu resultado aos 16 minutos. Mikel Merino conectou uma linda bola para Juanmi, justamente nas costas da zaga. O ponta saiu de frente para a meta e tirou do alcance de Stegen, de carrinho. Por sorte, o Barcelona não ficou remoendo o gol sofrido. Pouco demorou a recobrar a dianteira, evitando maiores desgastes.

O segundo gol aconteceu dois minutos depois. Méritos de Jordi Alba, exibindo sua enorme confiança no apoio. O lateral recebeu de Messi, ajeitou a bola em direção ao meio e soltou o tiro cruzado, acertando o canto de Rulli. A partir da assistência do craque, mostrou que aprendeu bem com o mestre. Ernesto Valverde logo usaria suas alterações e Coutinho ouviu o chiado das arquibancadas ao substituir Dembélé. Ainda assim, o Barcelona precisava lidar com os riscos da diferença mínima. A segurança quase veio com Arturo Vidal, muito intenso no meio, mas o chileno desperdiçou uma boa oportunidade aos 35. Todavia, não faria falta. Se não foi uma vitória impressionante, ela manteve o conforto na liderança do Espanhol.

Restando cinco rodadas para o fim, o Barcelona abre nove pontos de vantagem na primeira colocação. Em uma semana ou duas, já deve ganhar o direito de dar a volta olímpica. E em um campeonato de muitos erros da concorrência, independentemente de seus próprios tropeços, o time de Lionel Messi inegavelmente se colocou à frente – inclusive pelos confrontos diretos. Já a Real Sociedad ocupa a décima colocação, uma posição abaixo do que demonstrou no Camp Nou. Com 41 pontos, dependeria de um sprint para tentar se aproximar da zona de classificação à Liga Europa.