Enquanto o Barcelona tenta recuperar terreno em suas conquistas no futebol, o clube deixou claro durante o final de semana que suas ambições vão além. Em assembleia, os blaugranas apresentaram as obras do “Espai Barça”, projeto que visa a modernização de diferentes estruturas do clube. A ideia envolve não apenas o Camp Nou, mas também as categorias de base e até mesmo outras modalidades fomentadas pela agremiação. Maneira de tentar firmar ainda mais os catalães como uma potência e atrair mais interessados às suas instalações.

O primeiro passo do projeto está na construção do Estádio Johan Cruyff, que servirá para receber jogos das categorias de base e do time B. Estará situado no centro de treinamentos de Sant Joan Despí. Já o Camp Nou passará por modificações a partir de 2019. Além das reformas estruturais e melhorias no acesso, também serão construídos novos camarotes e uma cobertura sobre o gigante de concreto. As mudanças aumentarão a capacidade da praça esportiva, de 99 mil para 105 mil espectadores, graças à conclusão do anel superior das tribunas. Além disso, a transformação no aspecto visual é uma das mais impactantes desde a inauguração do estádio, em 1957.

O Miniestadi, que atualmente recebe os jogos da base e do Barça B, será demolido. No local, se erguerá o novo Palau Blaugrana, o ginásio que serve para receber as partidas de outras modalidades praticadas no clube, sobretudo o basquete e o handebol. E no terreno do atual ginásio, surgirão prédios administrativos e um hotel. As mudanças foram idealizadas pelos arquitetos japoneses do Nikken Sekkei, em conjunto com os catalães Joan Pascual e Ramon Ausió. A previsão é de que as construções fiquem prontas em 2023. Apesar das modificações, o Camp Nou não será fechado, com as obras realizadas durante os intervalos entre uma temporada e outra.