A vontade, muitas vezes, não basta por si dentro das quatro linhas. É necessário insistir e persistir para que uma vitória suada realmente aconteça. O Atlético Mineiro viveu dessas noites no Estádio Independência. Foi mais time que La Equidad, o visitante pela Copa Sul-Americana, e empilhou oportunidades contra os colombianos. Porém, só depois de muito empenho é que o ímpeto se transformou em vitória – de virada. O triunfo por 2 a 1 concede uma boa vantagem ao Galo, firme nas quartas de final do torneio continental. Premia uma equipe que, se sofreu mais do que o esperado pelas vezes em que o grito não saiu da garganta, confirma o seu favoritismo no duelo.

O Atlético soube que viveria uma noite cardíaca desde os primeiros minutos. La Equidad forçou duas defesas de Cleiton logo nos ataques iniciais e abriu o placar aos seis minutos, com Camacho, após pênalti cometido por Elias. O Galo precisaria reagir. E tentou superar os colombianos durante a sequência primeiro tempo, entre diversos lances nos quais ficou no quase. Aos 11 minutos, Ricardo Oliveira já cabeceou uma bola na trave. Pouco depois, o goleiro Novoa pegou um arremate de Cazares que também estalou o poste. Os atleticanos acordaram, embora ficassem por um triz.

O merecido empate veio aos 27 minutos. Jair reafirmou a excelente fase e aproveitou uma sobra para deixar tudo igual. A virada, aliás, só não aconteceu antes do intervalo por conta de outra intervenção miraculosa de Novoa. Réver cabeceou e o arqueiro espalmou, em bola que ainda bateu no travessão. Mas não que La Equidad estivesse morto. O time voltou a ameaçar no final do primeiro tempo e, nos acréscimos, também acertou o travessão em cabeçada de Mahecha após cobrança de escanteio.

Durante a segunda etapa, a expulsão de Ethan González aos nove minutos empurrou o Atlético para frente. O problema era romper a marcação cerrada de La Equidad. A chance só surgiu aos 19 minutos, em pênalti assinalado com a ajuda do VAR. Novoa pegou a cobrança de Cazares e Otero aproveitou o rebote, mas o venezuelano invadiu a área antes do permitido e o tento acabou anulado. O Galo permaneceu em cima, errando uma sequência de finalizações. Quando foi para acertar, Elias fez a diferença. Aos 34 minutos, o volante teve espaço na intermediária e arriscou o chute. A bola foi no meio do gol, mas Novoa tentou adivinhar o canto e falhou. Por fim, os mineiros ainda seguiram em cima pelo terceiro gol, sem converter.

O sufoco aconteceu, mas o Atlético provou que possui mais time que La Equidad. Poderia ter construído uma vantagem mais confortável, embora a vitória já seja suficiente para facilitar o serviço da equipe de Rodrigo Santana na visita à Colômbia. A atuação superior indica as totais condições do Galo em seguir rumo às semifinais. Almejar mais um título continental é a realidade aos mineiros.

*As notas são determinadas pelo SofaScore, através de um algoritmo baseado nas estatísticas da partida.