O Atlético Goianiense faz um Campeonato Brasileiro acima das expectativas, ao aparecer no meio da tabela e bater de frente com alguns dos favoritos ao título. O time de Vágner Mancini se mostra bem armado e eficiente. E o bom momento se refletiu também em uma classificação emocionante na Copa do Brasil. Até os 48 do segundo tempo, o Dragão ia sendo obrigado a enfrentar o Fluminense nos pênaltis para definir quem avançaria. Entretanto, donos da partida no Estádio Olímpico, os goianos buscaram o gol necessário para a classificação direta nos últimos instantes. A vitória por 3 a 1 garante os atleticanos nas oitavas de final da competição.

O Fluminense havia vencido o primeiro duelo por 1 a 0, o que forçava o Atlético a sair para o jogo. Em poucos minutos, o Dragão mostrou do que seria capaz. Marlon Freitas assustou numa finalização para fora e, aos nove, Chico abriu o placar. Ferrareis cruzou e Muriel deveria fazer uma defesa simples, mas o goleiro soltou a bola bisonhamente e Chico mandou para dentro. E a partida seguiria pendendo aos rubro-negros, com mais atitude e organização. O Fluminense não conseguia incomodar.

O Atlético diminuiu um pouco mais o ritmo na sequência do primeiro tempo, mas voltou a crescer e a assustar pouco antes do intervalo. O segundo gol dos goianienses parecia mais provável. Por isso mesmo, o Fluminense respirou aliviado quando descontou nos acréscimos. A partir de um escanteio cobrado por Egídio, Luccas Claro completou de cabeça às redes. Por tudo o que foi o primeiro tempo, o empate era um lucro imenso aos tricolores. Era uma atuação desconexa do Flu, sem velocidade e sem coesão.

Com o placar, o Atlético Goianiense precisaria de dois gols para assegurar a classificação direta. Os rubro-negros demorariam um pouco mais para colocar o Fluminense contra a parede e a sinalizar a reação. A partir dos 20 minutos, os lances começaram a surgir e Muriel faria boa defesa contra Matheus Vargas, enquanto Janderson arrancou suspiros ao bater por cima do travessão. Felippe Cardoso até responderia do outro lado, aos 30. Mas o Dragão merecia o segundo e anotaria aos 33. Muriel espalmou o chute de Janderson e o rebote sobrou no meio da área para Marlon Freitas escorar.

Neste momento, o Atlético Goianiense forçava pelo menos a disputa por pênaltis. Mas, pela diferença entre as equipes no jogo, o Dragão merecia avançar sem o drama na marca da cal. Assim, continuaria em cima do Fluminense em busca do terceiro. Luccas Claro salvou os cariocas quando Matheus Vargas engatilhava, enquanto Nenê tentou do outro lado em chute desviado. Mas, aos 48, o terceiro gol dos atleticanos saiu. Matheuzinho, que havia saído do banco, encontrou o espaço pela esquerda. O passe veio na medida para Matheus Vargas, que concluiu para as redes. A alegria era evidente aos goianos.

A classificação vale ao Atlético Goianiense R$2,6 milhões na conta bancária e, mais do que isso, o reconhecimento ao bom trabalho. Por mais que a próxima etapa possa guardar adversários mais cascudos, o Dragão já mostrou como consegue encarar equipes mais badaladas. O Fluminense, por outro lado, se despede do torneio de maneira melancólica. Não é apenas a derrota, mas a forma como o time de Odair Hellmann foi apático em Goiânia e só teve uma sobrevida tão grande por um gol achado. O momento, além do mais, não anima.

Atlético Goianiense x Fluminense (Fonte: Soccerway)