O Athletic Bilbao se colocou em vantagem nas semifinais da Copa do Rei, contra o Granada. Dentro de um San Mamés empolgadíssimo com a ocasião, os leones venceram o primeiro encontro por 1 a 0. No entanto, o placar ficou magro aos bascos, diante de sua superioridade ao longo da noite. A equipe de Gaizka Garitano criou muitas ocasiões de gol, sem conseguir aproveitar tanto. O goleiro Rui Silva acumulou ótimas defesas, enquanto dois tentos dos anfitriões também foram corretamente anulados. Ao menos, o capitão Iker Muniaín garantiu o triunfo, que oferece a vantagem do empate para o segundo jogo na Andaluzia.

Num começo de partida mais nervoso, o Granada deu os primeiros sustos. Todavia, logo o Athletic passou ao controle das ações, aproveitando-se da voracidade de seu ataque. Iñaki Williams puxava a linha de frente e quase marcou aos 14. Seu tiro cruzado parou em uma defesaça de Rui Silva, que desviou com a ponta dos dedos. O goleiro seguiria trabalhando, para negar duas vezes o tento a Mikel Vesga.

O Athletic martelava e o gol parecia questão de tempo. Até demorou para sair, aos 42 minutos. Após um lançamento em profundidade, Williams arrancou pela esquerda e cruzou rasteiro para Muniaín apenas escorar dentro da área. Os andaluzes reclamaram de um toque no braço durante a jogada de Williams, mas o VAR considerou seu domínio como ombro e validou o tento. San Mamés jogava junto com seu time e crescia.

Na volta ao segundo tempo, o Athletic se mostrava disposto a ampliar logo o marcador. Os primeiros 15 minutos foram de total pressão dos bilbaínos. Yeray Álvarez teve um gol anulado por impedimento no primeiro ataque, antes de Williams finalizar por cima e Ander Capa exigir mais uma baita intervenção de Rui Silva. Aos 16, de novo o apito soou. Capa chutou da entrada da área e superou Rui Silva, mas Williams estava no meio do caminho impedido e interferiu na ação do goleiro. Corretamente, o árbitro cancelou o tento.

Se a torcida chiava com a arbitragem sem muita razão, o Granada teve seus motivos para reclamar, depois que Capa acertou Domingos Duarte por trás e não viu sequer o amarelo. San Mamés gritaria bastante aos 22, quando Aritz Aduriz entrou no lugar de Raúl García. O veterano estava pronto para fazer seu último jogo de Copa do Rei dentro do estádio. De qualquer maneira, o grito mais importante, o do gol, ficaria outra vez preso por causa de Rui Silva. O goleiro negou novamente a consagração a Williams na noite, pegando um tiro cruzado.

Durante os minutos finais, a tensão se tornou maior e o Athletic, cansado, permitiu que o Granada até tentasse o empate. Unai Simón realizou duas boas defesas, em especial num petardo de Carlos Neva, que o goleiro espalmou no cantinho. Contudo, se alguém merecia o gol, era mesmo o Athletic. E foi uma pena que a despedida de Aduriz não tenha terminado com uma bola nas redes. Aos 42, Williams cruzou e o velho ídolo não conseguiu completar na segunda trave. Por alguns milímetros, seu tento não veio.

A vantagem é boa ao Athletic, mas não tanto quanto poderia ser. Diante do que se viu em San Mamés, o Granada deu sorte de voltar vivo à Andaluzia. Os bascos têm o direito ao empate, só que precisarão sublinhar sua superioridade sem mais o apoio da torcida. O reencontro em Nuevo Los Cármenes acontecerá dentro de três semanas, no início de março, e representará uma oportunidade histórica a ambos os clubes. Em Bilbao, permanece a expectativa de retomar a taça que não vem desde 1984.