Cada um à sua maneira, Tottenham e Aston Villa fizeram janelas de transferências expressivas durante a pré-temporada. Os Spurs adicionaram talentos pontuais, em reforços tão pedidos quanto necessários para rechear o elenco de Mauricio Pochettino. Enquanto isso, os Villans retornaram à primeira divisão e trouxeram um caminhão de novos atletas, sobretudo jovens, para tentar se restabelecer. Não dá para dizer, por enquanto, que a estratégia do clube de Birmingham é ruim. O Villa ia fazendo uma atuação heroica em Londres e por muito pouco não arrancou o resultado. Mas ainda mais emocionante foi a virada do Tottenham, que cresceu na partida e merecidamente conquistou o triunfo por 3 a 1, no grande jogo deste sábado.

Pochettino já trouxe suas novidades para o time titular. Giovani Lo Celso e Ryan Sessegnon foram apenas apresentados desta vez, mas Tanguy Ndombele apareceu ao lado de Moussa Sissoko e Harry Winks na cabeça de área titular. Porém, o primeiro tempo esteve longe de agradar a torcida no novo estádio do Tottenham. Os londrinos criaram boas chances logo de cara, especialmente com Lucas Moura. Na melhor delas, Tom Heaton salvou uma cabeçada do brasileiro. Só que a pressão deu espaço aos visitantes e, num contragolpe bem encaixado, o Aston Villa abriu o placar aos nove minutos.

Após lançamento fantástico de Tyrone Mings a partir da defesa, o centroavante Wesley teve o seu papel ao abrir espaço no jogo de corpo com Davinson Sánchez e permitiu que John McGinn dominasse. No mano a mano com Danny Rose, o atacante deixou o marcador no chão e tirou do alcance de Hugo Lloris. O Tottenham sentiu o gol e, mesmo com o domínio da posse, não conseguiu cumprir sua missão durante o primeiro tempo. A equipe demorou a criar novas chances e se incomodava bastante com os contragolpes do Aston Villa, puxados sobretudo pelo egípcio Trezeguet. Os Spurs até finalizaram algumas vezes antes do intervalo, sem precisão.

Durante o segundo tempo, o bombardeio do Tottenham se intensificou. O time arrematou 24 vezes, cerca de uma a cada dois minutos. Ainda assim, precisava de ajustes, especialmente pela maneira como não acertava o pé. Logo início, Sissoko falhou em uma chance inacreditável, de frente para o gol. Os bloqueios da defesa do Aston Villa também eram essenciais, diante da entrega impressionante para segurar o placar. A dupla de zaga visitante, principalmente, fazia uma partida excepcional.

A entrada de Christian Eriksen no lugar de Harry Winks, aos 20 minutos, ajudou o Tottenham a organizar melhor os seus ataques. A partir deste instante, a pressão se tornou sufocante. E os heróis do Villa tentavam evitar o pior. Mings era impecável na zaga, fechando os espaços e tirando duas bolas que iam a caminho do gol. Enquanto isso, Heaton também realizava milagres sob a trave. Porém, diante de tamanha insistência, o desgaste pesou contra os grenás e a virada se tornou incontornável a partir dos 28.

Após cobrança de escanteio, Heaton realizou uma defesa incrível para evitar o gol de Sissoko. Já na sequência do lance, a bola sobrou na entrada da área com Ndombélé e o novato mostrou seu cartão de visitas, com um petardo que valeu o empate. Ironicamente, o arremate triscou em Mings e impossibilitou a defesa de Heaton. O arqueiro voltou a aparecer para buscar no canto a cobrança de falta de Eriksen. E o abafa resultou na virada aos 41. Erik Lamela brigou pela bola no ataque e o chute rebatido ficou para Harry Kane guardar dentro da área. Quatro minutos depois, a vitória foi concluída pelo próprio Kane. Recebeu de Sissoko, que fez bom avanço, e desferiu um chute no cantinho.

Não foi a estreia dos sonhos ao Tottenham, sobretudo pela diferença em relação à calmaria vivida por Liverpool e Manchester City. Mas ainda são três pontos, e com bons indicativos à sequência temporada, especialmente pela confiança a Ndombele. Já ao Aston Villa, apesar do abatimento pela maneira como a vitória não se sustentou, fica um saldo positivo. Por aquilo que os grenás jogaram no primeiro tempo, não parece um time que voltará imediatamente à Championship na próxima temporada.

Você sabia que a Trivela agora está no YouTube? Inscreva-se no canal e nos acompanhe por mais um meio e em mais um formato! Confira o vídeo mais recente: