O cabelo moicano, as tatuagens, a braçadeira de capitão. Detalhes que sempre identificarão Marek Hamsik aos torcedores do Napoli, um dos maiores ídolos que já se doaram no gramado do Estádio San Paolo. E outra marca registrada do meio-campista era sua comemoração tantas vezes explosiva após os gols. A vibração que corria as veias e escancarava o orgulho de ser, ele, mais um napolitano. Antes de se tornar o recordista em jogos pelo clube, virou o recordista em tentos. Não é pouco se colocar à frente do Deus de Nápoles, Diego Armando Maradona. O eslovaco conseguiu.

Nesta semana em que Hamsik se despede da torcida celeste, aproveitamos para relembrar seus 121 gols pela equipe. Maneira justa de homenagear uma lenda: