Depois de duas derrotas em duas rodadas ingratas no início da Premier League, o Arsenal teve um respiro ao derrotar o West Ham no compromisso passado. Já neste domingo, o desafio seria encarar outro clube que não começou bem o torneio. O Cardiff City é certamente o principal candidato ao rebaixamento e sequer havia balançado as redes nas três primeiras rodadas, mas possui um estilo de jogo físico, incômodo aos Gunners, e atuava diante de sua torcida. Ao final, os londrinos voltam para casa com a vitória, mas depois de 90 minutos suados em Gales. Os Blue Birds dificultaram bastante o duelo e buscaram o empate duas vezes, até que Alexandre Lacazette definisse os 3 a 2 no placar. Méritos ao francês, que serviu como referência ao time de Unai Emery durante o confronto.

Apesar dos sustos em bolas recuadas a Petr Cech, o bom início dava certa tranquilidade ao Arsenal. Não era um time tão dominante, mas criava mais ocasiões e precisou de apenas 11 minutos para abrir o placar. Após cobrança de escanteio, Shkodran Mustafi apareceu na área para definir de cabeça. Além disso, o próprio Lacazette poderia ter ampliado, em arremate cruzado que bateu na trave. Contudo, o time se acomodou e os erros acabavam ditando os principais lances em Gales. E foi assim que os Gunners concederam o empate já nos acréscimos do primeiro tempo, quando os anfitriões cresciam. Um passe errado de Granit Xhaka deu o contra-ataque ao Cardiff City, para que Víctor Camarasa deixasse tudo igual.

A situação trouxe um Arsenal mais atento e organizado para o segundo tempo. A equipe passou a trabalhar melhor a bola e a buscar as brechas dentro da imposição física dos adversários, com Mesut Özil assumindo seu papel na criação. Não demorou que o gol saísse. Em uma trama pelo meio, Lacazette deu um inteligente passe de primeira e Pierre-Emerick Aubameyang teve todos os méritos na jogada, ao abrir o caminho e arriscar o chute de longe, sem chances ao goleiro Neil Etheridge. Do outro lado, porém, o Cardiff conseguiria responder em pouco tempo. Oito minutos depois, nova igualdade no placar. A partir de uma falta contestável, a bola foi alçada na área e Danny Ward cabeceou no canto. Os desleixos defensivos, como em outras partidas, penalizavam o Arsenal.

De qualquer forma, o time conseguia se movimentar bem e, nos 20 minutos finais, ganhou o acréscimo de Lucas Torreira. Pois o uruguaio teve papel importante no resultado positivo, ajudando a construir o gol aos 36 minutos. Em sequência de passes, o novato tocou a Lacazette, que girou sobre a marcação e soltou o canudo, em bomba indefensável. Prêmio à maneira como o francês participou do jogo, tentando abrir espaços e facilitar a vida de uma equipe que por vezes sofre na construção. Ao final, o Cardiff tentou povoar seu campo de ataque com jogadores altos, na esperança de uma bola vadia. Não aconteceu.

O caminho ao Arsenal nesta temporada de recomeço ainda é longo. Há bons jogadores, mas por vezes fica a impressão de que o encaixe da equipe não é dos mais simples. E a situação fica difícil diante das fragilidades apresentadas no campo defensivo, sejam por erros com ou sem a bola. Ao menos, os Gunners têm à sua disposição individualidades que podem valer muito, e Lacazette confirmou isso na visita a Gales. Após quatro rodadas, a equipe soma seis pontos e se coloca na metade de cima da tabela, na nona colocação. O Cardiff tem dois pontos, ao menos fora da zona de rebaixamento.


Os comentários estão desativados.