O Leeds United havia confirmado até mesmo o título da Championship, mas a rodada final da segunda divisão inglesa guardava muitas disputas em aberto. O que se viveu nesta quarta-feira foi uma noite bastante intensa e algumas ultrapassagens inacreditáveis. Mesmo apenas empatando, o West Brom carimbou a promoção, ao contar com a derrota do Brentford no duelo paralelo. O Barnsley, responsável por desbancar o Brentford, escaparia do descenso com um excepcional triunfo fora de casa, garantido nos acréscimos – Hull City, Wigan e Charlton terminaram caindo à terceirona. E a definição dos classificados aos playoffs de acesso seria igualmente improvável. Brentford, Fulham e Cardiff avançarão ao lado do Swansea, capaz de uma reviravolta sensacional. No saldo de gols, o time galês superou o Nottingham Forest e encerrou o sonho dos alvirrubros, que seguirão na segundona por mais um ano.

Sem muitas dúvidas, o Nottingham Forest se tornou a maior decepção na rodada final da Championship. A equipe passou a campanha praticamente inteira na zona de classificação aos playoffs. Desde a 25ª rodada, os bicampeões europeus se mantiveram de maneira ininterrupta entre a terceira e a sexta colocação, muito embora sua vantagem naquela zona da tabela não fosse tão grande. Desde fevereiro, o Forest acumulava tropeços e sinalizava sua queda de desempenho. A situação piorou após a retomada do campeonato, com muitos empates. E o desastre se consumaria nas três rodadas finais.

Primeiro, o Nottingham Forest teve a chance de matar o Swansea na antepenúltima rodada, dentro do City Ground. Esteve em desvantagem no placar duas vezes e precisou se contentar com o empate por 2 a 2, que mantinha a ameaça. No compromisso seguinte, os alvirrubros visitavam o Barnsley e até garantiam um empate que seria útil, mas tomaram o gol na derrota por 1 a 0 aos 48 do segundo tempo – e isso apenas semanas depois de cederem o empate por 1 a 1 no clássico contra o Derby County aos 52 do segundo tempo.

Ainda assim, o Forest entraria na última rodada ocupando a quinta colocação. Sustentava uma vantagem de três pontos e cinco gols a mais no saldo em relação ao Swansea, enquanto também estava à frente do Cardiff City pelo saldo de gols, ambos igualados na pontuação. Dentro do City Ground, um empate bastaria aos alvirrubros contra o Stoke City, um adversário sem pretensões na tabela. Situação tranquila, certo? Pois foi assim que o desastre se consumou nesta quarta.

Com o Cardiff definindo sua vida logo cedo contra o Hull City, ganhando por 3 a 0 em casa, a atenção ficou aos compromissos de Swansea e Nottingham Forest. O primeiro gol nas duas partidas paralelas seria do Swansea, abrindo o placar contra um Reading igualmente sem objetivos. Logo depois, o Stoke fez 1×0 sobre o Forest. Apesar da igualdade entre Forest e Swansea neste momento, ambos indo a 70 pontos na tabela, os alvirrubros ainda levavam vantagem de três tentos no saldo de gols. Na sequência, tanto Reading quanto Forest provocaram o empate, o que deixava os bicampeões europeus com uma vantagem de três pontos na tabela faltando pouco mais de meia hora ao término da competição. Porém, a certeza logo desabaria.

A situação começou a desandar ao Nottingham Forest a partir dos 21 do segundo tempo, quando Wayne Routledge tomou a vantagem no placar ao Swansea, 2×1 sobre o Reading. O Stoke também fez 2×1 sobre o Forest minutos depois e aplicaria 3×1 na sequência. Neste instante, mais dois gols seriam necessários à reviravolta na tabela. Os Swans os marcaram, com Liam Cullen aos 39 e com o herói Routledge determinando os 4×1 aos 46. A esta altura, com o jogo minutos atrasado, um tento ainda poderia salvar o Forest. Mas quem fez 4×1 no City Ground foi o Stoke, com a pá de cal aos 51 minutos, num contra-ataque quando os anfitriões tentavam achar um golzinho no desespero.

O Nottingham Forest encerrou a campanha com 70 pontos e oito gols de saldo, um a menos que o Swansea – que levaria a melhor também se este critério ficasse empatado, por ter anotado mais gols pró. Já o Cardiff City, com os 3 a 0 sobre o rebaixado Hull City, tomou a quinta colocação com 73 pontos. Enquanto o Swansea pegará o Brentford nas semifinais dos playoffs de acesso, o Cardiff encarará o Fulham.

O Brentford, aliás, foi outro que decepcionou neste desfecho da Championship. A equipe entrou na paralisação dentro da zona dos playoffs, mas na quinta colocação e a dez pontos do acesso direto. Foram oito vitórias consecutivas deste então, que, combinadas aos tropeços do segundo colocado West Brom, deixaram as Abelhas a um ponto de ultrapassarem os vice-líderes. O problema viria nas duas últimas rodadas. O Stoke City já tinha colocado água no chope do Brentford com a vitória por 1 a 0 no penúltimo compromisso, por mais que a derrota por 2 a 1 para o Huddersfield também atrapalhasse o West Brom. Nesta quarta, para subir, o Brentford precisava vencer em casa o Barnsley e torcer por um tropeço dos Baggies em The Hawthorns, contra o Queens Park Rangers, ou só empatar, desde que os vice-líderes perdessem. Não rolou.

Por ter um saldo de gols superior, o Brentford ficou brevemente na zona de acesso direto, depois que o QPR abriu o placar contra o West Brom. Porém, o Barnsley logo faria o primeiro contra as Abelhas em Griffin Park e, antes do intervalo, o West Brom já buscou o empate em The Hawthorns. Os Baggies viraram sobre o QPR no início do segundo tempo e perderam um caminhão de gols, até cederem o empate por 2×2 após um contra-ataque. Minutos depois, aos 28 do segundo tempo, o Brentford também fez 1×1 contra o Barnsley e passou a depender de um gol seu ou de um gol do QPR para subir. O problema é que o time não teve forças e, nos acréscimos, o Barnsley comemorou a permanência na segundona com o gol da vitória por 2×1 – o que também ratificou a volta do West Brom à Premier League.

Por fim, o Barnsley merece seu destaque especial pela sobrevivência – e com seus próprios méritos pelo que aprontou no momento decisivo. O clube permanecia no Z-3 desde a 11ª rodada e chegou a ocupar a lanterna após seu antepenúltimo jogo, ao ser derrotado pelo Leeds United. A recuperação começou na penúltima rodada, com a supracitada vitória agônica sobre o Nottingham Forest, 1 a 0 arrancado aos 48 do segundo tempo. Ainda assim, seria necessário vencer o Brentford na última partida e torcer contra ao menos dois dos três concorrentes logo acima – Wigan, Luton e Charlton.

Nesta quarta, quando muitos esperavam o Brentford entrando com a faca entre os dentes pelo acesso em Griffin Park, foi o visitante desacreditado quem negou seu rebaixamento, com a inesperada vitória por 2 a 1 garantida nos acréscimos do segundo tempo. O empate, aliás, teria provocado o descenso do Barnsley. Após o duelo, enquanto era entrevistado pela televisão local, o técnico Gerhard Struber chorou diante dos microfones, numa das grandes imagens da noite.

Com isso, caíram: o Hull City, que só escaparia com uma combinação de resultados bem improvável; o Wigan, que chegou a sair em vantagem contra o Fulham e ia escapando, mas tomou o empate por 1 a 1 e cai por causa da dedução de 12 pontos por seus problemas financeiros; e o Charlton, que pegou o Leeds United em Elland Road e se tornou sparring na coroação, com os 4 a 0 aplicados pelos Whites. Além do Barnsley, outro a fugir do descenso com um grande resultado nesta quarta foi o Luton Town, que virou por 3 a 2 contra o Blackburn, embora um empate bastasse. Vale lembrar que o Wigan ainda pode reverter sua situação nos tribunais e rebaixar o Barnsley, mas uma virada na situação parece improvável.

Abaixo, a classificação completa. Logo mais, teremos também um texto detalhando o acesso do West Bromwich – e a derrocada do Brentford.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore