Numa temporada tão particular quanto a atual, impactada diretamente pela pandemia, nenhuma outra liga nacional pela Europa teve um desfecho tão extraordinário quanto o Campeonato Romeno. O torneio não deixou de ser por pontos corridos, mas precisou realizar uma decisão nesta segunda-feira. Cluj e CS Universitatea Craiova eram os concorrentes pela taça, se enfrentando numa teórica rodada final. Teórica porque, dias antes, o compromisso do U Craiova não aconteceu em consequência dos casos de coronavírus num outro oponente e a equipe estava com um jogo a menos. Como esta era a última data para confirmar junto à Uefa o representante romeno na Champions, a federação local definiu três horas antes do duelo que o vencedor levaria o título, enquanto o empate provocaria prorrogação e pênaltis. O Cluj, porém, evitou mais controvérsias: dois pontos à frente, confirmou a conquista com a virada por 3 a 1.

Já era uma reta final suficientemente conturbada no Campeonato Romeno, com os casos de coronavírus surgindo em diferentes times. Duas semanas antes da rodada final, em seu antepenúltimo compromisso, foram anunciados 26 testes positivos no elenco do Cluj. O time, que deveria enfrentar o FCSB (o antigo Steaua Bucareste), precisou voltar para casa de ambulância e permanecer em quarentena. Dias depois, contudo, descobriu-se que os resultados estavam errados e 23 pessoas não haviam contraído a doença. Assim, liberado para atuar, o Cluj conquistou vitórias decisivas contra o Botosani e contra o próprio FCSB.

A disputa com o Universitatea Craiova foi acirrada durante boa parte da campanha. Os alviazuis até lideraram na reta final. O problema a eles aconteceria na penúltima rodada, quando deveriam encarar o Astra Giurgiu. Por conta de casos de coronavírus no Astra, a partida na última sexta-feira precisou ser adiada. Todavia, não existiria tempo hábil para determinar os representantes romenos nas copas europeias da próxima temporada dentro do prazo estabelecido pela Uefa, com a data limite marcada para esta terça-feira.

O Cluj entrava na última rodada do hexagonal final na liderança, com 46 pontos. Já o Universitatea Craiova tinha 44 pontos e uma partida a menos. A organização do Campeonato Romeno possuía alguns caminhos possíveis a tomar: poderia pedir uma ampliação do prazo à Uefa, o que ainda assim atrapalharia a preparação às preliminares das competições europeias, que começam neste mês de agosto; poderia dar a vitória por 3 a 0 ao U Craiova contra o Astra, por W.O; poderia tentar antecipar o Astra x U Craiova antes do fim da quarentena, o que atropelaria da mesma forma o calendário da Uefa; ou poderia inventar um regulamento novo. Foi esta última opção que realmente aconteceu.

A vantagem do empate estava com o Cluj na tabela prévia à rodada final, mas também poderia estar com o Universitatea Craiova se decidissem pelo W.O. Três horas antes da partida decisiva, o comitê executivo da federação romena preferiu tratar o duelo como uma final e não dar a vantagem do empate a ninguém: se o placar permanecesse igualado durante os 90 minutos, o campeão seria determinado na prorrogação ou então nos pênaltis. O melhor no confronto direto derradeiro ficaria com a taça e a vaga na Champions.

O Universitatea Craiova tinha a vantagem de jogar em casa e até abriu o placar, num chutaço de Dan Nistor de fora da área. Antes do intervalo, o brasileiro Paulo Vinícius buscou o empate com uma cabeçada certeira. E quem temia a prorrogação não precisou se preocupar. Logo no início do segundo tempo, Kevin Boli apareceu sozinho na área e contou com a enorme colaboração da marcação para virar ao Cluj. Por fim, o gol que sacramentou o título grená saiu a 15 minutos do apito final. Ciprian Deac, que havia dado as assistências aos dois companheiros, concluiu o triunfo cobrando pênalti.

O Cluj não contou com seu técnico na partida final e nem mesmo na comemoração. Dan Petrescu era um dos casos realmente positivos de coronavírus nos grenás e precisou ser hospitalizado. O veterano da seleção romena ganhou alta antes da partida, mas teve que cumprir a quarentena. E a celebração dos tricampeões nacionais não teria nada de isolamento no alto do pódio, com a entrega da taça.

Se levasse o troféu, o Universitatea Craiova encerraria um jejum de 29 anos sem faturar o Campeonato Romeno – em título alcançado ainda pelo “clube original”, antes da intrincada disputa para saber quem é o verdadeiro herdeiro da agremiação. Os alviazuis estiveram perto, com uma liderança que se sustentou por três rodadas antes do adiamento do jogo contra o Astra Giurgiu. Já o Cluj liderou durante a maior parte do campeonato e leva o sexto título de sua história, sendo o terceiro consecutivo.

No clube desde março de 2019, Petrescu é um dos grandes responsáveis por esse sucesso do Cluj. Já em campo, o ponta Ciprian Deac foi realmente o nome mais preponderante nesta campanha, com 14 gols e nove assistências. Revelado pelo Anápolis, Paulo Vinícius foi o único brasileiro do elenco nesta temporada e se manteve como uma das principais figuras na defesa, participando de todo o tri. Com a vitória, o Cluj confirma a vaga na Champions League e é o último time a se garantir no torneio. Entrará na primeira fase preliminar, com compromisso já em 18 ou 19 de agosto. O Universitatea Craiova, por sua vez, vai à Liga Europa ao lado de Botosani e FCSB.