Num negócio com seus riscos, Cavani oferece não só faro de gol ao United, como também uma necessária liderança

O Manchester United tem muitas carências no seu elenco e a goleada aplicada pelo Tottenham neste final de semana expôs os problemas. Até pelo alerta ligado, o fechamento do mercado se torna ativo em Old Trafford. E um negócio de peso dos Red Devils é a contratação de Edinson Cavani. O centroavante virou objeto de desejo a vários clubes, após o fim de seu contrato com o Paris Saint-Germain, embora também existisse receio por suas condições físicas. Pode não ser o negócio dos sonhos aos mancunianos, mas garante poder de fogo ao time de Ole Gunnar Solskjaer, adicionando características que não existiam no elenco.

Por estar sem contrato, Cavani nem precisaria acertar com o United antes do fechamento da janela. Todavia, os Red Devils não poderiam passar desta terça, se quisessem inscrevê-lo na Champions League. O acordo entre o jogador e o clube estava alinhando, até que a confirmação viesse na noite desta segunda. Aos 33 anos, o uruguaio assina com os Red Devils por uma temporada.

A carreira de Cavani em alto nível inspira respeito. Desde que se firmou como titular no Palermo, em 2008/09, o centroavante anotou 15 gols por temporada em 11 anos consecutivos. Virou ídolo do Napoli e, no PSG, se consagrou como o maior artilheiro da história da agremiação. As dúvidas sobre o rendimento do uruguaio são mais recentes, posteriores à grande Copa do Mundo que fez em 2018. Desde então, as lesões são frequentes. O centroavante atuou bem menos em 2018/19, embora tenha mantido uma ótima média de gols. Já em 2019/20, seria preterido por Mauro Icardi e mal teve sequência em Paris, dispensado antes mesmo da reta final da Champions League.

Talento não é problema a Cavani. Ainda hoje, poucos centroavantes conhecem tão bem a grande área quanto ele. Mas a saída em baixa do PSG, por tabela, rebaixou as pretensões ao redor do uruguaio. Até pareceu que ele não defenderia um clube de elite da Europa nesta temporada, sobretudo depois que o Atlético de Madrid preferiu concentrar seus esforços em Luis Suárez. O desespero do Manchester United, todavia, abriu as portas em Old Trafford. Será um centroavante de ofício a um elenco que, no máximo, tinha Odion Ighalo à disposição. Agora, o veterano precisará se provar inteiro não apenas por ter atuado pouco em 2019/20, mas também pela intensidade que a Premier League exige. Este será seu maior desafio.

“O Manchester United é um dos maiores clubes do mundo, então é uma verdadeira honra estar aqui. Trabalhei realmente duro durante meus meses sem time e me sinto ansioso para competir e representar este clube incrível. Joguei diante de algumas das torcidas mais apaixonadas ao longo de minha carreira e sei que será assim em Manchester. Mal posso esperar pela experiência da atmosfera de Old Trafford, quando for seguro ao retorno dos torcedores”, declarou Cavani, em sua apresentação.

“Quero continuar escrevendo minha humilde história no livro do futebol e é por isso que meu foco precisa seguir o mesmo – trabalhar, trabalhar, trabalhar. Conversei com o técnico e isso aumentou meu desejo de vestir esta linda camisa”, complementou o centroavante. Sinal da confiança do Manchester United, Cavani vestirá a lendária camisa 7, pertencente a alguns dos maiores ídolos do clube. A aposta dos Red Devils, em partes, se assemelha ao que aconteceu na passagem de Zlatan Ibrahimovic por Old Trafford.

Solskjaer, por sua vez, valorizou a tarimba de Cavani: “Edinson é um profissional experiente que sempre deu tudo por seus times. Seus números por clube e seleção são fantásticos. Estamos muito contentes por contratar um jogador do seu calibre. Ele trará energia, poder, liderança e uma grande mentalidade ao elenco. Mas, mais importante, ele trará gols. Ele tem uma carreira brilhante e segue com muito mais para dar no mais alto nível. A oportunidade para nossos jovens aprenderem com um dos maiores artilheiros do futebol europeu nos últimos dez anos é fantástica e realmente os ajudará a progredir. Edinson sabe exatamente o que precisa para ter sucesso e estamos ansiosos para vê-lo causando impacto no United”.

Considerando a maneira como o Manchester United carece de uma liderança, Cavani deve ter peso neste sentido. Em uma equipe jovem, nem mesmo os mais rodados têm assumido a bronca diante dos problemas. Pelo perfil, Cavani deverá dar o exemplo aos seus companheiros, também pelo costumeiro empenho dentro de campo. E oferecerá, de fato, experiência para que seus colegas na linha de frente possam absorver e evoluir.

Além de Cavani, o Manchester United fechou as contratações de Alex Telles e Amad Diallo neste fechamento da janela. Somam-se a Donny van de Beek e Dean Henderson, as outras adições principais dos Red Devils. Apesar das muitas investidas, o clube não conseguiu fechar com um ponta que viesse como titular – Jadon Sancho era o sonho de consumo. Mais do que isso, resta uma preocupação evidente com a zaga, diante do péssimo rendimento recente. Cavani pode abrir caminhos. Mas, apesar de seu apelo midiático e de sua história, está distante de representar uma salvação aos mancunianos.