Centroavante vive de gols. E não há centroavante no mundo que consiga dormir tranquilo durante um longo jejum. Ricardo Oliveira teve dificuldades para colocar a cabeça no travesseiro por mais de três meses. A seca já durava 15 partidas e até pareceu que iria perdurar mais um pouco, depois de duas chances clamorosas que desperdiçou contra o Fluminense neste sábado. No entanto, a partida no Estádio Independência permitiu sua redenção. O veterano anotou o segundo tento do Atlético Mineiro e possibilitou o triunfo por 2 a 1, que mantém o Galo forte na luta pelo topo do Brasileirão. O medalhão não escondeu as lágrimas depois do jogo.

Atlético e Fluminense fizeram uma partida intensa desde os primeiros minutos. Enquanto os tricolores mantinham a posse de bola no ataque, os alvinegros tinham o antídoto perfeito com a velocidade de seu contragolpe. E os atleticanos causaram sérios problemas à defesa adversária. Ricardo Oliveira ficou no quase pela primeira vez aos oito minutos, em cabeçada na trave, embora estivesse impedido. Já aos 15, o veterano saiu no mano a mano com Muriel, mas tentou driblar o goleiro e permitiu que ele fizesse a defesa.

O Fluminense também ameaçava, com Yony González aparecendo na definição das jogadas. Os tricolores também poderiam ter aberto o placar e o goleiro Cleiton fez boas defesas. Porém, nos 15 minutos anteriores ao intervalo, o Galo passou a criar um monte de oportunidades e pressionou. Muriel ia adiando a tragédia, com várias saídas providenciais, até que Cazares abriu o placar aos 41. Após cruzamento de Patric, a zaga do Flu só cortou parcialmente e o equatoriano chutou forte para inaugurar a contagem.

Pedro sentiu lesão e o Fluminense voltou com duas alterações para o segundo tempo, promovendo as entradas de Nenê e João Pedro. Até criou uma chance para empatar no início, mas o Atlético voltou a ser mais perigoso. O time ia desperdiçando e, em um dos lances, Ricardo Oliveira aproveitou o erro da zaga no susto, mas mandou para fora com a meta escancarada. Sua sorte é que o erro logo ficou para trás. A partir de um passe de Nenê que Elias roubou, o veterano viu o caminho livre para ampliar. Vibrou demais na comemoração, muito festejado pelos companheiros.

O Fluminense chegou a balançar as redes aos 11 minutos, mas a arbitragem anulou o tento de Yony González por impedimento. O Tricolor tentou pressionar, mas não tinha organização e errava bastante as conclusões. Era um segundo tempo corrido. O Galo, que arriscava os contragolpes, também teve o seu gol anulado aos 43, em impedimento de Alerrandro – substituto de Ricardo Oliveira. O abafa do Flu só deu resultado na jogada seguinte, quando Nenê descontou. João Pedro assinou a jogada, ao girar sobre o marcador e entregar o presente para o veterano concluir. Entretanto, o Atlético travou o jogo nos acréscimos e comemorou a vitória. Após o apito final, Nenê ainda foi expulso por reclamação.

Na saída de campo, Ricardo Oliveira deu uma entrevista com os olhos marejados ao SporTV: “Não é desabafo, é sentimento de muita alegria por saber que afinal de contas o trabalho foi recompensado. Perseverança, luta, entrega, determinação, apoio dos companheiros… Todos falavam que ‘o gol vai sair, vai sair, vai sair’. Apesar dos 15 jogos sem fazer gol, nunca deixei de trabalhar e dar o melhor. Nos momentos difíceis me criticaram com razão, mas os torcedores também me apoiaram muito. A forma como gritaram meu nome deixou um sentimento de que, afinal, o trabalho foi recompensado”. Tirou o peso das costas.

O Atlético Mineiro aparece na quarta colocação do Brasileiro. Tem 27 pontos, igualado ao Flamengo, mas em desvantagem no saldo de gols. Não pode ser ultrapassado na rodada. Já o Fluminense segue em sinal de alerta. Estacionou nos 12 pontos, no 16° lugar. Está somente dois pontos acima do Cruzeiro no Z-4 e seca a Raposa na visita ao Avaí na Ressacada. Por mais que o time de Fernando Diniz vá bem na Copa Sul-Americana, a campanha no Brasileiro preocupa.

 

* As notas são de responsabilidade do SofaScore, elaboradas a partir de um algoritmo que considera as estatísticas de cada jogador.