Entre as competições continentais de seleções, a Copa Ouro é uma das menos prestigiadas. A excessiva realização do torneio, a cada dois anos, prejudica o interesse. Além disso, o nível de competitividade é baixo. E até mesmo a monotonia na disputa pelo título afasta os holofotes. Desde que a competição adotou o atual formato, em 1993, apenas uma vez a taça não ficou com México ou Estados Unidos. As equipes secundárias da Concacaf podem até pintar na final, mas como meros desafiantes. O único a quebrar a hegemonia foi o Canadá, em 2000, e que tenta recobrar sua força neste momento. Investindo na própria liga local e se preparando à Copa de 2026, os canadenses almejam se restabelecer nesta Copa Ouro. Contudo, no primeiro teste de fogo, não foram páreos ao México. As duas equipes se enfrentaram nesta quarta, num jogo de relativo peso na fase de grupos, mas os mexicanos não tiveram problemas para vencer por 3 a 1.

Iniciando o trabalho de Tata Martino, o México conta com sua base principal na Copa Ouro. Lesionados, Hirving Lozano e Tecatito Corona são desfalques importantes. Ainda assim, o elenco liderado por Andrés Guardado não deixa a desejar. E foi o próprio capitão que se encarregou de comandar o triunfo sobre o Canadá. Sob as ordens de John Herdman, que se projetou à frente da seleção feminina, os canadenses possuem um elenco concentrado nos clubes do país na MLS. Ainda assim, há jogadores com certo destaque na Europa, a exemplo de Scott Arfield, Junior Hoilett, Atiba Hutchinson e Cyle Larin. Alphonso Davis é a maior aposta, tentando se firmar no Bayern de Munique, enquanto Liam Millar ascende da base do Liverpool. Outro que desponta é Jonathan David, jovem atacante em bom momento no Gent.

Fato é que a base inexperiente do Canadá pouco conseguiu contra um México bem mais tarimbado. O triunfo veio naturalmente, com o domínio de El Tri desde o primeiro tempo em Denver, apesar da postura aguerrida dos Canucks. Roberto Alvarado abriu o placar aos 40 minutos, a partir de um rebote do goleiro. Já a obra de arte se deu aos nove do segundo tempo. Guardado recebeu na intermediária e resolveu arriscar, acertando um lindo tiro na gaveta. Lucas Cavallini até descontou para o Canadá, a 15 minutos do fim. Mas qualquer esboço de reação foi interrompido pelo segundo tento de Guardado, agora em arremate desviado que terminou nas redes.

O México anda devendo nas últimas edições da Copa Ouro. Caiu nas semifinais em duas das últimas três edições, um ponto fora da curva para seu histórico. Diante da renovação dos Estados Unidos, é o grande favorito à taça e já tinha demonstrado isso na estreia, enfiando 7 a 0 em Cuba. De qualquer maneira, o torneio também vale para ver se, enfim, alguma surpresa consegue romper os quase 20 anos de dinastia da dupla de ferro. O Canadá, por enquanto, possui uma equipe em formação. Mas espera que a diferença em relação a mexicanos e americanos se torne cada vez menor. A partida desta quarta mostrou que o caminho é longo.