O rebaixamento do CSA ainda não se consumou no Campeonato Brasileiro, mas a torcida azulina tem motivos a mais para ficar desenganada. O gás que os alagoanos deram em meados do segundo turno acabou e o time ficou a um fio do descenso nesta segunda. Melhor ao Fluminense, que visitou o Trapichão e buscou a vitória por 1 a 0. Os tricolores, por outro lado, respiram na corrida pela sobrevivência e jogam um pouco mais de pressão sobre a concorrência, ao saírem do G-4.

Como era de se esperar em uma partida deste peso, a cautela e o nervosismo ditaram o ritmo das ações em Maceió. Era um duelo de chances de gol escassas durante o primeiro tempo, no qual o Fluminense tinha mais iniciativa, mas sofria com a forte marcação. Isso até que a trave elevasse as tensões na metade final da primeira etapa.

Paulo Henrique Ganso foi o primeiro a esbarrar no poste, aos 26 minutos, em tiro de fora da área que Jordi desviou com a ponta dos dedos. Já pouco antes do intervalo, a resposta do CSA também pararia na trave. O goleiro Marcos Felipe realizou a defesa no mano a mano contra Ricardo Bueno e, quando o rebote sobrou em cima do centroavante e ele tinha a meta aberta para concluir, mandou no pau.

O Fluminense encontrou o caminho à sua vitória logo na volta ao segundo tempo. O gol decisivo de Yony González aconteceu aos quatro minutos. Marcos Paulo fez um cruzamento na medida para o colombiano, que cabeceou com violência rumo ao canto da meta de Jordi. A desvantagem levou o CSA a se abrir ao tudo ou nada, se mandando ao ataque. Enquanto isso, o Flu também encontrava mais espaços para contragolpear. O drama se ampliava.

O CSA enchia o pé na tentativa de conseguir o empate. Os alagoanos paravam no goleiro Marcos Felipe, que realizou boas defesas para segurar a pressão. Jonatan Gómez travava um duelo particular com o arqueiro, sem grande sucesso. Já o Flu poderia ter matado a partida antes. Caio Henrique teve as principais oportunidades tricolores, sem aproveitar. Faltava qualidade nos arremates de uma equipe um tanto quanto desleixada em cumprir ampliar o placar. Ao menos, os erros não tiveram um preço tão alto. O desespero se restringiu ao CSA após o apito final.

É muito difícil acreditar na salvação do CSA a esta altura do campeonato. Com 29 pontos, os alagoanos ficaram a oito de sair da zona de rebaixamento, com mais quatro rodadas pela frente. Só um milagre dará a permanência ao time de Argel, que vem de quatro derrotas consecutivas. Apesar de certo ânimo no início do returno, os azulinos agora convivem com a desesperança. Apostarão todas as suas cartas contra o Cruzeiro na próxima rodada, dentro do Mineirão.

Já o Fluminense ganha um respiro importante, em uma situação na qual todo ponto é vital. Os tricolores deixaram a zona de rebaixamento e agora ocupam o 15° lugar, com 38 pontos. Ficam um ponto à frente do Cruzeiro, o primeiro do Z-4. Neste momento, com as lamúrias do CSA, parece que apenas um dos lugares rumo à Série B ainda não está definido. O Flu sente o alívio por um resultado importantíssimo, dentro de uma disputa bastante equilibrada.

Classificações Sofascore Resultados