A Premier League realizou um atípico jogo noturno na rodada do final de semana. Wolverhampton e Tottenham entraram em campo às 19h45 – um raro horário no qual, segundo Mauricio Pochettino, ele já estaria “sentado no sofá com meu cachorro”. Mas a quem esteve sentado no sofá e diante da televisão, o duelo no Estádio Molineux ofereceu um bastante entretenimento. Os Spurs contaram com o potencial de seu ataque para abrir três gols de diferença. No entanto, também dependeram de Hugo Lloris, diante da pressão dos Lobos. Ao final, os londrinos respiraram aliviados, voltando para casa com a vitória por 3 a 2, que os coloca no G-4.

Poupando parte de seus titulares, com a Liga dos Campeões em vista, o Tottenham teve lidar com um grave problema logo aos sete minutos. Mousa Dembélé se lesionou e, sem opções ao setor, Son Heung-min entrou em seu lugar. O sério desfalque não atrapalhou o primeiro tempo dos visitantes, que, depois de um período morno, anotaram dois gols em sequência. Erik Lamela fez grande jogada pela direita e bateu rasteiro para inaugurar o marcador, aos 27. Três minutos depois, Kieran Trippier cruzou na cabeça de Lucas Moura, livre de marcação e sem dificuldades para balançar as redes. Antes do intervalo, porém, o Wolverhampton foi prejudicado por um gol de Raúl Jiménez erroneamente anulado por impedimento.

No início da segunda etapa, os Wolves começavam a exigir mais de Lloris, realizando grandes defesas. Então, Harry Kane pareceu resolver o duelo aos 17. Em lançamento longo da defesa, o centroavante ajeitou de cabeça e apareceu na área para aproveitar o passe de Lamela. Rui Patrício defendeu o primeiro chute, mas ainda assim o artilheiro marcou no rebote. Diante da diferença, Nuno Espírito Santo colocou seu time no ataque e colheu frutos, graças à infelicidade de Juan Foyth, estreante na Premier League. O zagueiro argentino errou o bote e cometeu o primeiro pênalti aos 23, permitindo que Rubén Neves descontasse. Dez minutos depois, outra falta desnecessária dentro da área e Raúl Jiménez anotou mais um. Por fim, Pochettino fechou seu time, com a entrada de Davinson Sánchez. Apesar da insistência, os anfitriões não arrancaram o empate, com Helder Costa desperdiçando a melhor chance.

Pelos desfalques e pelos jogadores poupados, dá para diminuir o tom da crítica sobre o Tottenham. Pelo contrário, este foi um resultado importante, ante a dificuldade imposta pelos adversários. Ainda assim, falta mais consistência para convencer. Prêmio suficiente, os Spurs terminam a rodada na quarta colocação da Premier League, com 24 pontos, superando o Arsenal na tabela. Já o Wolverhampton emenda a terceira derrota seguida e cai para o 11° lugar.