Vem sendo bastante difícil torcer para a seleção holandesa nos últimos anos. O fracasso na tentativa de se classificar à Euro 2016 já foi um duro golpe à Oranje. Agora, a equipe começa a cambalear nas Eliminatórias da Copa de 2018. Ninguém esperava um jogo fácil contra a Bulgária, em Sofia. Ainda assim, a derrota por 2 a 0, decidida em apenas 20 minutos de bola rolando, é um tanto quanto impactante. Pior para o time de Danny Blind, que fica pelo caminho no Grupo A, ocupando a quarta colocação, com sete pontos conquistados em cinco rodadas.

O nome do jogo no Estádio Vasil Levski foi o atacante Spas Delev. O centroavante do Pogon Szczecin, que anotou apenas três gols em 21 partidas pelo Campeonato Polonês, balançou as redes duas vezes nesta noite – curiosamente, os seus dois primeiros tentos pela equipe nacional, após 12 jogos em branco. O camisa 9 abriu o placar com apenas cinco minutos. A partir de um lançamento da defesa, Matthijs de Ligt errou o corte e deixou a bola limpa para o adversário. Jeroen Zoet também não saiu bem do gol. De Ligt era justamente a aposta de Blind, fazendo sua estreia na equipe nacional aos 17 anos, o mais jovem a vestir a camisa da Holanda desde a década de 1930.

Já aos 20 minutos, Delev voltou a ferir o coração dos holandeses. De Ligt não afastou o perigo completamente, mas desta vez o lance dependeu muito mais da competência do camisa 9, que limpou a marcação e chutou no canto. A partir de então, a Oranje não teve forças para a virada. Com mais posse de bola, não encontrava espaços na compacta defesa búlgara. Nem Arjen Robben dava jeito. Já no segundo tempo, os holandeses congestionaram o ataque, ameaçaram um pouco mais, mas sequer descontaram.

A situação da Holanda no Grupo A é um tanto quanto crítica. O time soma sete pontos, dois a menos que a Bulgária e três a menos que a Suécia. Já fica difícil de sonhar com a vaga direta, com a França abrindo seis pontos na liderança. E a reviravolta necessita de um bom resultado contra os franceses fora de casa, considerando que todos devem somar pontos contra Luxemburgo e Belarus. Na próxima semana, os holandeses voltam a campo para amistoso diante da Itália. Não há pressão pelo resultado, mas sim por um bom desempenho, diante da franca queda do time. Danny Blind já vê seu emprego correndo grandes riscos.