Novo versus renovado: o Bayern x Barça reflete o passado para definir as ideias do futuro

Um embate de filosofias. Tanto quanto o duelo entre camisas pesadas e entre craques, Barcelona e Bayern de Munique também confrontam nas semifinais da Liga dos Campeões uma maneira de pensar o jogo. Afinal, foi Guardiola quem revolucionou o tiki-taka blaugrana, a partir daquilo que já havia absorvido de Johan Cruyff. De longe, viu seu castelo de sonhos, já comandado por Tito Vilanova, ser demolido pelo Bayern de Jupp Heynckes, com os irretocáveis 7 a 0 no agregado das semifinais de 2009. E refrescou suas ideias justamente na Baviera, em um tiki-taka mais agressivo, enquanto Luis Enrique tenta também livrar as amarras do Barça, com um tridente ofensivo que os faz almejar outra vez a conquista da Europa.

VEJA TAMBÉM: Essas são as semifinais da Champions League 2014/15 (e da Liga Europa)

Será difícil esperar outro duelo tão desnivelado entre Barcelona e Bayern. Especialmente porque virtudes e fraquezas das equipes são um pouco parecidas, não como o que aconteceu há duas temporadas. Os espanhóis contam com a variação de jogo proposta por seu trio ofensivo, enquanto os alemães possuem uma gama enorme de recursos com os vários jogadores de qualidade no ataque – um pouco menos se Robben ou Ribéry não voltarem a tempo, é verdade. Já na defesa, a bola nas costas continua sendo problema mais para o Bayern, que encarará um adversário bem mais rápido nas transições. Por sua vez, o Barcelona que por vezes sofre no jogo aéreo pegará um rival que também explora este recurso, com Lewandowski e Thomas Müller na área.

Guardiola conhece profundamente o Barcelona para explorar as suas fraquezas. Assim como Thiago Alcântara deverá ser peça fundamental, após comandar a goleada sobre o Porto. Do outro lado, Messi e companhia sabem muito bem como seu antigo treinador raciocina. O confronto dessas semifinais será importante, sobretudo, para que ambos os lados se soltem das antigas amarras e pensem diferente. Não deve ser tão definitivo quanto os jogos de 2012/13, que marcaram a temporada mais vitoriosa da história do Bayern e um rompimento marcante no Barcelona. Mas dirá muito sobre o como seguirão pensando Guardiola e Luís Enrique – e o quão assegurados estarão os seus empregos.

VEJA TAMBÉM: Até Guardiola vive a pressão infernal dos jogos de vida ou morte

Historicamente, aliás, a vantagem no duelo é do Bayern. Dos quatro encontros anteriores por torneios continentais, os bávaros se deram bem em três: quando foram campeões da Copa da Uefa de 1996, no vice-campeonato da Champions de 1999 e no supracitado massacre de 2013, quando também acabaram erguendo a taça. Já o Barcelona conta com apenas uma vitória em oito partidas: justo uma goleada por 4 a 0 que reafirmou a força do time de Guardiola em sua primeira conquista europeia, em 2008/09.

1995/96 – Semifinais da Copa da Uefa
Bayern 2×2 Barcelona (Witeczek e Scholl | Óscar e Hagi)
Barcelona 1×2 Bayern (De la Peña | Babbel e Witeczek)

1998/99 – Fase de grupos da Champions
Bayern 1×0 Barcelona (Effenberg)
Barcelona 1×2 Bayern (Giovanni | Zickler, Salihamidzic)

2008/09 – Quartas de final da Champions
Barcelona 4×0 Bayern (Messi, Eto’o, Messi, Henry)
Bayern 1×1 Barcelona (Ribéry | Keita)

2012/12 – Semifinal da Champions
Bayern 4×0 Barcelona (Müller, Gómez Robben, Müller)
Barcelona 0x3 Bayern (Robben, Piqué, Müller)