O Milan da temporada 2017/18 causa muita expectativa na sua torcida. As boas contratações no mercado de transferências fizeram com que o Milan mudasse de patamar. Até onde vai ainda não sabemos, porque resta saber se tudo isso funcionará em campo, que é o que interessa. Nesta quinta-feira, pela Liga Europa, o Milan deu uma prévia do que vem por aí. E o resultado agradou a torcida. O time venceu o frágil Shkendija por 6 a 0 em San Siro, com Leonardo Bonucci, grande contratação da temporada, em campo e como capitão. Foi o primeiro jogo oficial do jogador, ex-Juventus.

LEIA TAMBÉM: Guia da Serie A Italiana 2017/18, parte 1: da Atalanta à Juventus

Dada a diferença de patamar das duas equipes, era esperado que o Milan vencesse com facilidade. Havia a possibilidade de, então, vencer com autoridade, mostrar força à torcida e garantir-se na fase de grupos da Liga Europa, já que ainda há o jogo de volta. A goleada veio, com a boa atuação esperada, e ainda serviu para dar moral a dois jogadores: André Silva, que começou a partida como titular e marcou dois gols; e Riccardo Montolivo, que fez boa partida, marcou dois gols e se recuperou, depois de uma temporada que sofreu com lesões e críticas da torcida.

Aos 13 minutos, o Milan conseguiu abrir o placar. Depois de jogada pela direita, o time do Shkendija saiu jogando mal e a bola sobrou para André Silva. O novo camisa 9 do Milan pisou na bola, ajeitou e tocou no canto, colocado: 1 a 0 para o time italiano.

O segundo gol veio pouco tempo depois. Aos 24 minutos, Borini foi sofreu falta perto da área. Suso cobrou com perigo, o goleiro espalmou rasteiro e Montolivo pegou o rebote para marcar 2 a 0. O trator rossonero continuou. Aos 27 minutos, Calhanoglu fez uma ótima enfiada de bola para André Silva, que estava cercado de zagueiros. Só que os zagueiros mostraram inocência na marcação, deixaram o português, mesmo caído, girar em cima da marcação, levantar e marcar mais um.

No segundo tempo, com tranquilidade, o Milan chegou ao quarto gol. Andrea Conti chegou ao ataque pela direita, cruzou para a área e, depois de uma furada, Borini marcou: 4 a 0. Um minuto depois, em um chute de Suso dentro da área, o goleiro rebateu para frente e o lateral Antonelli chegou tocando para o gol vazio: 5 a 0. A conta não parou de crescer. No final, aos 40 minutos, Montolivo recebeu na entrada da área, ajeitou para o pé direito e chutou cruzado: 6 a 0 para o Milan.

A classificação está no bolso – teria que perder por sete gols de diferença na partida de volta, na Macedônia, para ser eliminado, algo inviável dado o que se viu nesta partida. A próxima partida é justamente a estreia do Milan na Serie A: contra o Crotone, no domingo (15h45, no horário de Brasília, noite na Itália).

O Milan deu bons sinais que pode ser um time bastante competitivo. Hakan Calhanoglu deu sinais que é um jogador com potencial para ser muito melhor do que Keisuke Honda foi nos últimos anos vestindo a mesma camisa 10; Kessié é um jogador de muita força, movimentação e dá ao meio-campo do Milan uma capacidade de ser agressivo ofensivamente e até Fabio Borini, com sua tradicional luta em campo, pode ter sua utilidade. André Silva é um jogador com potencial para crescer e Bonucci é uma certeza na zaga, com um goleiro promissor por trás, Gianluigi Donnarumma.

Com o que se viu em campo, o Milan tem tudo para começar bem a temporada. O Crotone é um adversário acessível para um time que tem como meta voltar a ficar entre os quatro primeiros. Vale lembrar que nesta temporada os quatro primeiros colocados se classificam à Champions League, que é justamente o objetivo do time rossonero de Milão.