Ele tem apenas 21 anos de idade e nove jogos na equipe principal do seu clube, o Benfica. Nunca defendeu a camisa da seleção nacional, nem mesmo em categorias de base. Mas é o nome mais comentado da convocação feita pelo técnico Fernando Santos para as rodadas derradeiras de Portugal nas eliminatórias da Eurocopa 2016.

VEJA TAMBÉM: Em (mais um) caso polêmico, presidente do Sporting afasta atacante

Ele é Nelson Semedo, lateral-direito que até a temporada passada atuava no Benfica B. Revelado pelo modesto Sintrense, chegou ao clube da Luz em 2012/13 e foi imediatamente emprestado ao Fátima. Na temporada seguinte, retornou aos encarnados e atuou por dois anos no time B. Com a troca de treinador (Jorge Jesus foi para o Sporting e Rui Vitória chegou em seu lugar), o garoto foi promovido para o elenco principal. Mais do que isso, para o time titular.

Portugal está muito perto de uma das vagas para o campeonato europeu de seleções, que será disputado na França, no ano que vem. A seleção precisa de apenas um ponto nos jogos que fará contra Dinamarca, em casa (a partida será no estádio do Braga), em 8 de outubro e contra a Sérvia, fora, três dias depois. Apesar do natural pedido de “pés no chão” do treinador, somente uma tragédia deixará o time das quinas fora da Euro. Talvez isso justificasse a convocação do jovem jogador.

Mas não foi só isso. Ainda que tenha atuado por apenas nove jogos até agora, Semedo já mostrou potencial e personalidade. Na derrota benfiquista para o Porto, no clássico disputado no Dragão, por exemplo, muitos viram o lateral como único jogador a se destacar no time encarnado. O próprio Benfica já trabalha com a hipótese de aumentar o salário do atleta, a principal revelação da temporada portuguesa até agora.

Mas também não foi só isso que fez com que Fernando Santos apostasse em Semedo. A explicação oficial passa pelos motivos já citados e pela ausência de Vieirinha, lesionado. Mas há outro detalhe: com dupla nacionalidade, o lateral poderia ser convocado pela seleção de Cabo Verde, que já havia demonstrado publicamente o interesse em contar com ele nas eliminatórias africanas.

O técnico português nega que isso tenha influenciado diretamente em sua escolha. “Não tenho o hábito de me antecipar ao que quer que seja. Se entendesse que ele não tinha qualidade, não estava aqui”, afirmou Fernando Santos, na entrevista coletiva concedida logo após a convocação. Mas parece evidente que não quis correr o risco de perder o jogador.

O treinador também se mostrou indiferente ao fato de seu novo comandado nunca ter jogado na seleção pelas categorias de base. Ele citou o exemplo do ex-atacante Nenê, que defendeu Portugal nas décadas de 1970 e 80 e teve trajetória parecida.

Com a confiança de Rui Vitória (a quem deve bastante, pois o projetou no Benfica), Semedo vive o melhor momento de sua carreira. Afinal, embora tivesse a esperança de defender Portugal, ele sempre deixou em aberto a possibilidade de jogar por Cabo Verde, como uma segunda opção. Ele, claro, comemorou. “Estou muito entusiasmado e sinto-me orgulhoso. Vou encarar esta convocação como uma grande oportunidade e dar tudo para continuar sendo chamado”, disse.

É, de fato, uma chance de ouro para quem, há menos de dois meses, estava fazendo seu primeiro jogo pelo time principal do Benfica. Resta ao garoto saber aproveitar.