Fora de casa e na disputa por pênaltis, o Al-Sadd, do Catar, conquistou neste sábado o título da Liga dos Campeões da Ásia pela primeira vez em sua história. A equipe, que é dirigida pelo uruguaio Jorge Fossati (ex-Internacional e LDU) empatou em 2 a 2 com o Jeonbuk Hyundai Motors, da Coreia do Sul, e derrotou a equipe sul-coreana nas penalidades máximas por 4 a 2. Com isso, o Al-Sadd também se garante na disputa do Mundial de Clubes da Fifa em dezembro.

Empurrado pela torcida, o Jeonbuk não demorou a abrir o marcador, com o brasileiro Eninho, aos 17 minutos da etapa inicial. Mas aos 30 minutos, o marfinense Abdur Kader Keita (ex-Lyon e Galatasaray) igualou para o clube do Catar. Melhor em campo, o Al-Sadd chegou ao segundo gol aos 21 minutos da etapa final, novamente com Keita. E quando parecia que o título seria decidido já no tempo normal, o meia Seung-Hyun Lee, que entrara na metade da etapa complementar, empatou para os coreanos nos acréscimos. A partida decorreu tensa nos 30 minutos de prorrogação, a ponto de o Al-Sadd perder Ali Afif, no último minuto do tempo extra, expulso.

O título, então, acabou tendo que ser definido na cobrança de penalidades máximas. Keita fez o primeiro dos cataris, mas Eninho empatou. Al Haidos marcou o segundo do Al-Sadd, e Kim Dong-Chan perdeu a chance de igualar o placar. Na terceira série de batidas, erros dos dois lados, com Lee Jung-Soo e Park Won-Jae. Na quarta série, Ibrahim Madjid fez o terceiro dos visitantes e Kim Sang-Sik marcou o segundo dos coreanos.  Mas na última série, Nadir Belhadj garantiu a conquista inédita para o Al-Sadd.