O protagonismo de Cristiano Ronaldo não diminui a história que Eusébio construiu no futebol português. Afinal, os lusitanos atingiram novos patamares muito graças ao moçambicano de talento e vigor físico inegáveis. O Benfica se consagrou como bicampeão europeu a partir dos gols do prodígio, incorporado de vez ao time logo após a primeira conquista continental. Além disso, a campanha brilhante da Seleção nas Quinas na Copa de 1966 dependeu diretamente da fome de gols do Pantera Negra. Mesmo após pendurar as chuteiras, o craque permaneceu na comissão técnica de Portugal. E, não à toa, se tornou um dos personagens mais celebrados quando os tugas faturaram a Euro 2016. Dois anos após o falecimento do homem, a lenda era proclamada pelos próprios campeões.

Neste sábado, a morte de Eusébio completa cinco anos. Assim, para preservar um pouco mais de sua memória tão aclamada, aproveitamos para resgatar uma pérola: o filme “Eusébio, a Pantera Negra”, de 1973. O longa dirigido pelo espanhol Juan de Orduña mistura lances de jogo e ficção, com o próprio atacante participando como ator. A produção conta a história do craque desde os tempos em Moçambique até o momento em que anunciou a aposentadoria, em setembro de 1973 – em adeus que não durou muito, com seu retorno aos gramados pouco depois. De qualquer maneira, fica a oportunidade para conhecer um pouco mais sobre o artilheiro.

 


Os comentários estão desativados.