Nos 75 anos de Gerd Müller, Lewa honrou a lenda: “O que você alcançou me motiva a trabalhar todos os dias para me aproximar de sua grandeza”

Gerd Müller teve grandes herdeiros no Bayern de Munique, mas ninguém parece mais próximo de tentar se aproximar de sua história quanto Robert Lewandowski. Igualar a grandeza do velho centroavante é impossível, com todas as suas marcas e médias espetaculares. Entretanto, com um estilo bastante distinto, Lewa é quem aparece mais perto na lista de maiores artilheiros dos bávaros. E a terça-feira de Champions League guardou uma singela homenagem do polonês ao alemão. No dia em que Müller completou 75 anos, Lewandowski dedicou seus dois gols assinalados na vitória por 6 a 2 sobre o Red Bull Salzburg.

“Eu gostaria de dedicar meus gols a uma verdadeira lenda, Gerd Müller, que hoje faz 75 anos. O tamanho do que você alcançou me motiva a trabalhar todos os dias para, ao menos, chegar um pouco mais perto de sua grandeza. Fique forte, Rei Gerd”, escreveu Lewandowski, em suas redes sociais, logo após a goleada do Bayern.

Em 2015, pouco antes do aniversário de 70 anos do craque, a família de Gerd Müller revelou que o veterano estava com Alzheimer. A doença degenerativa avançou nestes cinco anos e, segundo sua esposa, “ele está dormindo próximo de seu fim”. O idoso vive numa casa de repouso e Uschi Müller visita o marido todos os dias. “Ele sempre foi um lutador, sempre corajoso, durante toda a sua vida e continua assim”, declararia, ao Bild.

Durante as homenagens pelos 75 anos de Gerd Müller, o Bayern exaltou sua lenda através de Franz Beckenbauer. O Kaiser ressaltou a importância do velho amigo ao clube. “Muitas vezes me perguntam sobre a importância de Gerd Müller ao Bayern e ao futebol alemão. E minha resposta é que o futebol tem muito a ver com gols. Você pode jogar bem, mas não vence sem gols. Gerd foi simplesmente a maior garantia de gols na história do futebol. Ele lançou o Bayern na esfera internacional, na qual o clube se encontra. Gerd é a origem. Na minha visão, é o jogador mais importante da história do Bayern. Às vezes você consegue o prêmio de jogador mais valioso. Ele era isso. Gerd era o MVP. Nesse aspecto, foi também o mais importante”, disse.

“Sempre que tínhamos preocupações antes de um jogo, Gerd não queria saber de nada disso. Ele sempre dizia em seu dialeto único: ‘Ah, parem com isso. Vamos vencê-los facilmente’. Gerd foi quem me deu a tranquilidade que eu precisava. Nunca tive grandes dúvidas, mas se eu estava preocupado sobre algo que pudesse dar errado, Gerd apagaria esses pensamentos de mim. ‘O que pode acontecer, Franz? Podemos fazer isso!'”, completa Beckenbauer. “O que ele fazia conosco também nos treinos era um insulto. Às vezes Schwarzenbeck e eu dizíamos que íamos jogar duro, até bater nele se necessário. Mas ainda não o pegávamos. Gerd continuava partindo sozinho ao gol. Se eu não visse Gerd de perto todos os dias, não teria acreditado”.

Gerd Müller conquistou a Bola de Ouro em 1970 e outras três vezes terminou entre os três primeiros colocados do prêmio. Em sete temporadas acabou com a artilharia da Bundesliga, estabelecendo o recorde de gols em uma única edição do campeonato, com 40 tentos em 1971/72. Também foi artilheiro da Champions em quatro oportunidades e artilheiro da Copa de 1970. Com 14 gols em duas edições do Mundial, incluindo o tento do título em 1974, o alemão manteve a maior marca de gols no torneio por 32 anos. Em 605 aparições pelo Bayern, o Panzer registrou 565 gols. São 365 tentos apenas pela Bundesliga. Lewandowski tem 258 gols pelo clube, 172 pela Bundesliga, superando o veterano apenas em seus números pela Champions.