Ao Paris Saint-Germain, conquistar uma vitória nas competições domésticas não passa de um trabalho protocolar. E a situação se torna ainda mais fácil quando os adversários precisam atuar com um jogador a menos desde o primeiro tempo. Foi exatamente isso que aconteceu nesta quarta, pela Copa da Liga Francesa, e você já deve imaginar o tamanho do estrago contra o Saint-Étienne: os parisienses golearam por 6 a 1. Mauro Icardi anotou uma tripleta e Neymar também deixou o seu, embora Kylian Mbappé mereça seu destaque. O jovem deu duas assistências, balançou as redes uma vez e chamou atenção pelo golaço que não entrou.

O PSG abriu o placar logo aos dois minutos, em passe de Thomas Meunier para Icardi definir. E a situação facilitou aos 31 minutos, quando Wesley Fofana deixou o Saint-Étienne com um a menos, ao receber o segundo cartão amarelo. Antes do intervalo, Ángel Di María serviu Neymar para o segundo da equipe e também participou de um gol contra patético dos Verts, o terceiro dos parisienses. Então, o show de Mbappé começaria no segundo tempo.

Em 12 minutos, Mbappé permitiu a tripleta de Icardi. Driblou o goleiro para o companheiro marcar o quarto com a meta vazia e disparou no quinto, de novo deixando Icardi na boa. O merecido tento de Mbappé foi o sexto, aos 22, num lindo presente retribuído por Icardi, com direito a um domínio maravilhoso do argentino. O Saint-Étienne até descontou na sequência, com Yohan Cabaye aproveitando o rebote de um pênalti que ele mesmo desperdiçou. Mas nada seria mais bonito que o tento perdido por Mbappé, quase o sétimo. O atacante recebeu na entrada da área e tentou encobrir o goleiro de primeira, com um toque de letra. A bola passou raspando a trave. Uma pena.

Com a goleada, o PSG se reafirma um pouco mais na Copa da Liga Francesa. O time de Thomas Tuchel avança às semifinais ao lado de Stade de Reims, Lyon e Lille. O sorteio dos confrontos acontecerá nesta quinta e, independentemente de quem pintar pela frente, ninguém nega o amplo favoritismo a mais uma taça rumo ao Parc des Princes – especialmente quando os craques resolvem arrebentar, como hoje.