O embalo do nenê imaginário em pleno sol escaldante de Dallas é a imagem imediata que vem à cabeça quando se fala em Bebeto. O parceiro perfeito de Romário, o autor de gols decisivos na Copa de 1994, o atacante que mereceu o reconhecimento máximo enquanto atravessava uma fase esplendorosa. A carreira do camisa 7, porém, se recheou de outras boas histórias. Por clubes, conquistou a idolatria de diferentes torcidas, sobretudo no Rio de Janeiro e em La Coruña. Já pela Seleção, disputou três Copas do Mundo e anotou 40 gols. Além do tetra, ainda faturou duas medalhas olímpicas, um inédito título mundial sub-20 e a Copa América que encerrava uma espera de quatro décadas. Aquele voleio contra a Argentina no Maracanã é tão grande quanto a “comemoração embala nenê”, assim como o gol em 4 de julho diante dos Estados Unidos.

Em seu auge, Bebeto reunia o melhor a um grande atacante. Rompia as defesas adversárias com seus dribles em alta velocidade, mas também sabia ser oportunista e se posicionar muito bem para definir partidas importantes. Os muitos gols garantiram sua fama. Os gols decisivos o eternizaram como um ídolo. E os golaços deixam evidente o craque que foi. Neste sábado, o camisa 7 completa 55 anos. Aproveitamos para apresentar uma seleção com 50 de seus melhores tentos, criada pelo canal “Gols & Goals OGB”. Confira: