A Espanha perdeu o 100% de aproveitamento nas Eliminatórias da Eurocopa neste sábado. Jogando em Oslo, a Roja vencia até os acréscimos, mas sofreu o gol de empate que quebrou a sequência de seis vitórias no torneio. Mais do que o resultado em si, que muda muito pouco a situação espanhola no grupo, o que mais chamou a atenção foi a atuação do time, sofrendo bastante contra uma Noruega que deu trabalho.

O que mais chamou a atenção na Espanha foi a falta de fluidez ofensiva, sem o seu estilo de jogo mais marcante, de trabalhar a bola e com um jogo coletivo forte. Nada disso foi visto em Oslo. A Espanha teve posse de bola, é verdade, 63%, e chutou mais a gol, 12 contra 9 da Noruega. Os números, porém, não explicam o futebol. Foi uma partida fraca e que a Noruega é que levou mais perigo, especialmente depois de levar o gol e partir mais para cima.

O técnico Roberto Moreno escalou um time que passa longe do elenco de estrelas que a Espanha já foi em outros momentos. Kepa Arrizabalaga foi o titular, com David De Gea no banco. Jesús Navas, um ponta direita a carreira toda, se tornou lateral. Raúl Albiol foi titular na zaga, junto a Sergio Ramos, o capitão do time. Juan Bernat, do PSG, foi o titular na lateral esquerda. No meio-campo Sergio Busquets foi o mais recuado, com Fabián Ruiz e Saúl Ñíguez. No ataque, Rodrigo, Mikel Oyarzabal e Dani Ceballos.

Sergio Ramos alcançou a marca impressionante de 168 jogos com a camisa da Espanha e tornou-se o jogador com mais partidas pela Roja. Superou Iker Casillas, que atuou de 2000 a 2016 e tem 167 jogos.

A Noruega precisava vencer, seja como for, para continuar na briga por vaga direta na próxima Eurocopa. Os dois primeiros colocados de cada grupo avançam à competição, que será disputada sem sede fixa em 2020. O problema é que o time não conseguia desenvolver o seu futebol como esperado.

Logo no início da segunda etapa, a Espanha abriu o placar. Depois de uma bola que foi tirada pela defesa, a Espanha retomou e Sergio Busquets tocou de lado para Saúl Ñíguez, que ajeitou e bateu de pé direito para marcar um belo gol, aos dois minutos.

Só que a Noruega seguiu buscando seu caminho no jogo e foi perigoso, especialmente em cruzamentos. Martin Odegaard, jogador da Real Sociedad (emprestado pelo Real Madrid), foi o grande nome da partida. Participativo, centralizava o jogo ofensivo dos noruegueses, sempre escondendo a bola com sua habilidade e levando perigo.

Nos acréscimos, um lançamento para a área, na direção de Omar Elabdellaoui, o goleiro Kepa Arrizabalaga saiu do gol e trombou com o atacante, de forma que o árbitro Michael Oliver considerou faltosa. Pênalti que Joshua King cobrou com precisão e, aos 48 minutos do segundo tempo, colocou a igualdade no placar, 1 a 1.

A Espanha está tranquila quanto a classificação para a Eurocopa. Vai acontecer em breve. A questão não é a vaga, mas sim o time. É preciso definir um time para jogar, algo que o técnico Robert Moreno ainda não parece ter. Além disso, há também o problema do rendimento do time estar abaixo do esperado.

Standings provided by Sofascore LiveScore