Aos 35 anos, Fernando Torres encerrou sua jornada no futebol profissional durante esta sexta-feira. O espanhol havia anunciado sua aposentadoria semanas atrás e, mesmo com o Campeonato Japonês em andamento, pendurou as chuteiras. Já limitado pelo físico, o atacante aproveitou uma partida da própria J-League para se despedir. Uma ocasião especial: em casa, o Sagan Tosu recebeu o Vissel Kobe, do amigo Andrés Iniesta. Foram várias as homenagens a El Niño.

Embora sua passagem pelo Japão parecesse apenas um apêndice à carreira, Fernando Torres recebeu todas as honras em sua despedida. O estádio apagou os refletores e brilhou através de luzes erguidas pelos torcedores do Tosu. Ao lado de seus filhos, o veterano ouviu os cânticos especiais das arquibancadas. Também fez seu último discurso, enquanto antigos companheiros apareceram no telão para desejar sorte à sequência da vida do espanhol.

Em campo, o ato final de Fernando Torres não foi dos mais felizes. Iniesta roubou a cena e fez uma partidaça, conduzindo a goleada do Vissel Kobe por 6 a 1. O atacante até encontrou algumas brechas, mas não conseguiu anotar o seu último gol. Após sofrer a ameaça do rebaixamento na temporada passada e terminar salvo justamente por um tento de El Niño, o Sagan Tosu outra vez busca se garantir na primeira divisão. Atualmente ocupa a antepenúltima posição na J-League, que leva aos playoffs contra o descenso.

O momento mais belo de Torres em sua despedida, aliás, veio através de uma carta assinada pelo centroavante. O espanhol dedicou algumas palavras para falar sobre sua trajetória e também para agradecer aos torcedores. Transcrevemos abaixo. É um símbolo final do empenho e da nobreza do veterano ao longo de sua carreira:

“Quando eu tinha cinco anos, comecei a jogar futebol com meu irmão. Trinta anos depois, vou jogar minha última partida como profissional. Hoje olho para trás e quase não posso acreditar em tudo o que vivi. Eu me sinto muito afortunado por ter conseguido os troféus mais importantes do mundo e por ter jogado para alguns dos clubes mais prestigiosos. Também me sinto afortunado pelos êxitos com a seleção espanhola. Eu vivi grandes emoções e felicidades. Queria agradecer ao futebol por ter me feito tão feliz. Mas não quero me esquecer da parte mais autêntica do futebol, a que faz com que este esporte seja tão maravilhoso: os torcedores”.

“Obrigado a cada um dos torcedores das equipes em que joguei por me amarem, por me apoiarem e por me respeitarem. Também aos torcedores adversários, porque vocês me fizeram ser um jogador melhor. Espero que tenha feito vocês desfrutarem do meu futebol e que os tenha inspirado de alguma maneira. Nunca deixem de perseguir os seus sonhos. Foi um verdadeiro prazer. Obrigado futebol, obrigado torcedores”.