Disputar a classificação às copas europeias anda mais difícil nesta temporada da Serie A. No entanto, mesmo ocupando a nona colocação na tabela, esta não deixa de ser uma campanha memorável à Atalanta. O time de Gian Piero Gasperini, apesar de perder jogadores importantes, mantém o nível e acumula boas atuações. Na Liga Europa, se impôs no chamado grupo da morte e conquistou a classificação aos mata-matas, deixando o Everton pelo caminho. E a trajetória na Copa da Itália não fica atrás. Depois de terem derrubado o Sassuolo, nesta terça os nerazzurri eliminaram o Napoli dentro do San Paolo. Vitória por 2 a 1, comandada pelo indefectível Papu Gómez, valendo o retorno às semifinais do torneio após 22 anos.

É preciso ponderar que o Napoli poupou a maioria absoluta de seus titulares, enquanto a Atalanta entrou com o time praticamente completo. Mas não é isso que diminui o resultado dos visitantes. Os napolitanos criaram as melhores chances no início do jogo, mas foi a Dea que abriu o placar aos cinco minutos do segundo tempo, em jogada que começou com Papu Gómez. Após o cruzamento do argentino, Andreas Cornelius tentou, até que Timoty Castagne fuzilasse. Já o segundo veio aos 36, através de arrancada de Papu. Embora tenha ajeitado a bola com o braço, o capitão deixou Vlad Chiriches pelo caminho antes de arrematar. Três minutos depois, Dries Mertens descontou, mas a reação parou aí. O belga não anotava desde novembro.

Esta é a quarta vez que a Atalanta chega às semifinais da Copa da Itália. Os nerazzurri conquistaram o torneio em 1962/63, batendo o Torino na decisão – em seu único título de primeiro nível. Na década de 1980, o clube foi semifinalista uma vez e finalista em outra, contando com os serviços de jogadores como Glenn Peter Strömberg, Evair e Cesare Prandelli. Já a última ocasião em que a Dea se colocou entre os quatro melhores aconteceu em 1995/96. Christian Vieri anotou os gols que derrubaram o Bologna nas semifinais, mas a equipe não resistiu à Fiorentina de Batistuta na decisão. Depois de 22 anos, a oportunidade se repete.

Não será fácil para a Atalanta chegar novamente à final, no entanto. O time de Gian Piero Gasperini aguarda o vencedor de Juventus e Torino, que se enfrentam nesta quarta. Milan e Lazio já estão definidos do outro lado da chave. Diante da postura demonstrada pelos nerazzurri em alguns dos jogos grandes desta temporada, de qualquer maneira, dá para acreditar. O “copeirismo” recente é o caminho mais curto para tornar o atual elenco da Dea ainda mais lembrado por seus torcedores.