Por Paulo Silva Junior

A noite que abriu a segunda fase da Copa do Mundo de Futsal já reservou um primeiro duelo dramático, de tirar o fôlego da torcida local em Cali. No confronto sul-americano válido pelas oitavas de final, o Paraguai criou mais, perdeu chances incríveis e viu a Colômbia segurar o 0 a 0 pelo tempo normal e também durante a prorrogação. Nos pênaltis, o especialista Espínola entrou, pegou duas cobranças e colocou os paraguaios nas quartas de final, para enfrentar Brasil ou Irã. Os anfitriões estão fora.

VEJA TAMBÉM: No caminho do Brasil, Irã é potência no futsal e fez jogo duro há dez meses

O primeiro tempo não foi dos melhores. Só quatro finalizações certas para cada lado e a melhor chance saiu numa tabela do ataque paraguaio que parou na trave do goleiro Ñañez. E se o jogo tivesse de ser resumido numa foto, seria algo como essa. O ataque paraguaio dentro da área, lamentando o gol perdido, e o goleiro colombiano aliviado com a rede de sua meta intacta.

A Colômbia, que teve menor posse de bola e terminou os 50 minutos de bola rolando com só seis finalizações no alvo (contra 13 do rival), sentiu muita falta de dois desfalques, suspensos por acúmulo de cartões amarelos. Angellot e Abril, que tinham feito seis dos oito gols da equipe na primeira fase, não atuaram – o primeiro é inclusive o capitão do time.

No segundo tempo, só deu Paraguai. Emmanuel Ayala teve o chute bloqueado pelo rosto do goleiro Ñañez, depois Juan Salas parou em Ortiz, que salvou em cima da linha. Faltando dois minutos, Ayala perdeu nova oportunidade e a partida foi para a prorrogação.

VEJA TAMBÉM: Todos os países que já disputaram a Copa do Mundo de futsal

O confronto seguiu com os paraguaios desperdiçando bolas incríveis e a Colômbia dando arrepios em seu torcedor no Coliseo del Pueblo. Juan Salas completou mal no segundo pau, depois bateu torto de frente para o gol; Ayala recebeu novo passe açucarado e não fez, Salas voltou a parar no goleiro, e Sierra salvou a Colômbia tirando uma bola em cima da linha. Restando 39 segundos, a última e solitária grande chance colombiana, numa falta na frente da área que Otero soltou o pé, mas errou o alvo.

A definição da vaga foi para os pênaltis, três cobranças para cada lado, e o goleiro Carlos Espínola, de 35 anos, entrou só para a disputa. De cara, ele já teve o primeiro contato com a bola ao defender o chute de Jonathan, capitão da Colômbia. Na tentativa de abrir a contagem para os paraguaios, Emmanuel Ayala acertou a trave.

Aí a Colômbia fez com Zuñiga, o Paraguai com Juan Salas, e o empate se manteve com Yefri confirmando de um lado e Javier de outro. Mas a noite era de consagração para o goleiro Espinola, que defendeu a bola de Otero e comemorou após o gol de Gabriel Ayala que colocou os paraguaios nas quartas de final, com 3 a 2 nos penais.

O resultado deixa o Paraguai entre as oito melhores seleções do mundo, lugar que a equipe esteve em dois Mundiais, ainda em tempos com 16 e 20 participantes. Já a Colômbia, anfitriã empolgada depois de chegar às semifinais em 2012, fica pelo caminho com uma campanha tímida em torneio que só venceu o Panamá, e com dificuldade, por 4 a 3.

Rússia sobra contra o Vietnã

No outro jogo da noite de terça-feira, a Rússia fez 7 a 0 no Vietnã com atuação bastante convincente e gols de Chisnkala, Abraovich (2), Abramov, Niiazov, Rômulo e Milovanov. O próximo adversário dos russos sai do confronto entre Espanha e Cazaquistão, que jogam nesta quarta-feira às 19h30 em Medellin, mesmo horário de Brasil e Irã em Bucaramanga.