O golaço de Everaldo contra o Grêmio pode ser tratado como a “lei do ex”, de um atacante que passou pela base tricolor e não teve muitas chances como profissional. Aplicou uma caneta em Kannemann e por pouco não fez o mesmo pra cima de Geromel, mas teve sorte que a bola sobrou em seus pés para emendar um balaço. Mais bacana é que o gremismo está na própria origem do jogador de 28 anos: sua mãe o batizou com este nome em homenagem ao lateral Everaldo, lenda do clube que seria titular na conquista do tri mundial com a Seleção. A pintura do artilheiro da Chapecoense foi o ponto alto de um movimentado jogo na Arena, em Porto Alegre, no qual o empate por 3 a 3 não satisfez tanto assim os anfitriões.

Pressionando, o Grêmio precisou de somente oito minutos para abrir o placar. Tiepo fez grande defesa para evitar o gol de Everton, mas não salvou a cabeçada de Geromel pouco depois. E a certeza da partida movimentada com o belíssimo lance de Everaldo. Deixou os dois zagueiros tricolores na saudade, antes de bater cruzado para empatar aos 11 minutos. Letal na Arena Condá, o atacante também deixaria sua marca na volta à “velha casa”. Mostrou como o tributo ao lendário Everaldo, um dos maiores jogadores da história gremista, está bem guardado.

Era um jogo completamente aberto. Isso ficou expresso quando Everton finalizou de longe e contou com a falha de Tiepo, o que permitiu o segundo gol do Grêmio aos 25. Mas a zaga tricolor também não vivia uma noite tão feliz, sofrendo com a velocidade do ataque adversário. Aos 33, Gustavo Campanharo arrancou novo empate, em cabeçada no primeiro pau. E a Chapecoense, que aproveitava muito bem os recorrentes erros dos gaúchos, conseguiu a virada no início do segundo tempo. Augusto se mandou pela direita e fez o cruzamento para Arthur Gomes completar dentro da área.

Ainda que a Chape tenha criado chances para anotar o quarto gol em seus contragolpes, o Grêmio passou a pressionar pelo empate na meia hora final. Diego Tardelli saiu do banco e exigiu um verdadeiro milagre de Tiepo, que se redimiu aos 31. Todavia, o terceiro gol tricolor não tardaria. E seria do próprio Tardelli, decisivo após sair do banco. Aos 35, ele completou de cabeça o cruzamento preciso de Luan. Já na reta final do duelo, Cebolinha parecia disposto a terminar como herói. Carimbou o travessão e novamente parou em milagre de Tiepo. Não faria o quarto, em noite que terminou com reclamação dos gaúchos no último minuto. O árbitro anotou um pênalti em Kannemann sem muita convicção e, depois de conferir no VAR, optou por cancelar a marcação. Deixou os gremistas na bronca por voltar atrás.

O Grêmio fecha a rodada no 13° lugar. O time soma 17 pontos e perdeu duas posições na tabela, após as vitórias de Ceará e Bahia. Já a Chapecoense arrancou um ponto importante, mas permanece na zona de rebaixamento. Com dez pontos, ocupa o 17° lugar, superando o Cruzeiro. Everaldo, por sua vez, se isola como vice-artilheiro. Anotou sete gols até o momento, dois a menos que Gabigol.