A evolução tecnológica acontece de maneira constante, assim como a relação das pessoas com os meios de comunicação. O que era praxe 10 anos atrás pode não ser mais hoje, da mesma forma como alguns hábitos atuais tendem a se tornar “ultrapassados” rapidamente. Dentro dessa constante transformação, a transmissão do futebol e dos esportes em geral cada vez mais atravessa uma fronteira. Em tempos nos quais a televisão perde público, com aumento dos serviços sob demanda, o conteúdo esportivo se insere no contexto. Nos Estados Unidos, por exemplo os “league pass”, que dão direito aos jogos do campeonato através da internet, já se enraizaram. Existe até mesmo um “Netflix boleiro” em operação no país. Já nesta semana, Espanha e Brasil caminham à nova direção.

No futebol espanhol, não é novidade o uso das redes sociais para transmissão de seus jogos. A Copa do Rei, por exemplo, teve jogos transmitidos ao vivo pelo YouTube na última temporada, inclusive alguns gratuitos. Nas últimas semanas, jogos do torneio também foram exibidos pela página de La Liga no Facebook. Já nesta sexta-feira, a Liga de Fútbol Profesional, entidade que gere o Campeonato Espanhol, anunciou que todas as partidas da rodada de sexta-feira na competição serão exibidas ao vivo no YouTube, até o final da temporada. Começou com a goleada do Granada sobre o Betis por 4 a 1. “Trata-se de uma aposta na inovação enquadrada na estratégia de desenvolvimento digital da Liga, com o objetivo de que todos os seguidores do futebol espanhol possam desfrutar”, afirmaram representantes da Liga, em justificativa.

No Brasil, por sua vez, a iniciativa não surge apenas como uma estratégia de desenvolvimento, e sim como uma cisão. Segundo informa Marcus Alves, no site da ESPN, Atlético Paranaense e Coritiba recusaram a oferta financeira feita pela Rede Globo, abaixo de suas expectativas. Assim, transmitirão o AtleTiba deste domingo no Youtube, através de seus canais oficiais. “É um novo modelo, excelente para cada um dos lados e estaremos fazendo essa experiência. É uma forma de amadurecer e desenvolver”, declarou o presidente do Atlético-PR, Luiz Sallim Emed, ao ESPN.com.br. “Não é um produto exatamente explorado, mas uma tendência. Queremos fazer uma análise do que vai acontecer, a receptividade disso, haverá interatividade com os torcedores dos dois times”. Conforme apresenta a Gazeta do Povo, a transmissão contará com um ex-jogador de cada lado comentando, assim como repórteres que já trabalham nos clubes.

E se medidas tão expressivas acontecem no Brasil e na Espanha, só enfatizam o movimento cada vez mais amplo, que possui exemplos em diversas partes do mundo – desde o intuito de se adaptar às demandas quanto ao de popularizar competições através de transmissões gratuitas e em meios de grande penetração. Não é de hoje, aliás, que os streamings “piratas” se tornaram uma alternativa a muitos espectadores, por mais que representem perdas financeiras a ligas e clubes. É importante, portanto, que o negócio se adapte à nova realidade. Neste sentido, os acontecimentos no Brasil e na Espanha representam passos firmes à nova direção.