Os três anos de Série B terminaram nesta 37ª rodada da competição. A vitória por 3 a 1 sobre o Oeste, em Barueri, fez o Esmeraldino garantir o acesso à primeira divisão. Logo em um ano que o time chegou a estar entre os últimos colocados no início do campeonato. Um dos times com maior orçamento da Série B, o Goiás consegue o acesso depois de três anos disputando a segunda divisão. Retorna à Série A para tentar retomar o que foi em outros momentos, um time de meio de tabela, e não um time que briga contra o rebaixamento.

LEIA TAMBÉM: A torcida do Fortaleza ajuda a tornar mais evidente a grandeza do título da Série B

A vitória garantiu o time chegar a 60 pontos e, assim, conquistar o acesso com uma rodada de antecedência. Isso porque o Avaí, também com 60 pontos, em terceiro, e Ponte Preta, com 59, em quarto, se enfrentam na última rodada. O CSA, também com 59, enfrenta o rebaixado Juventude. Ainda que o Goiás perca o último jogo para o Brasil de Pelotas, em Goiânia, ainda continuará com 60 pontos e, mesmo que a Ponte Preta vença o Avaí (indo a 62) e o CSA também vença o Juventude (indo aos mesmos 62), ficará empatado com o Avaí, mas com duas vitórias a mais – vantagem que tem também para a Ponte Preta e o CSA.

Um dos responsáveis pelo acesso é o técnico Ney Franco. O treinador chegou com o time na zona do rebaixamento e com o receio de cair para a Série C. Era a nona rodada. Na 21ª rodada, o time entrou pela primeira vez no G4. Saiu dela na 23ª rodada, quando perdeu o clássico com o Vila Nova por 3 a 0. De lá para cá, todas as rodadas terminaram com o Esmeraldino entre os quatro primeiros colocados.

O roteiro do jogo do acesso tem um pouco a ver com a trajetória na Série B. Depois de um primeiro tempo sem gols, o Oeste, ainda brigando para não ser rebaixado, abriu o placar com Mazinho, aos 19 minutos. O Goiás levou muitos torcedores à Arena Barueri, sonhando com a sonhada volta à primeira divisão. E os torcedores viriam uma virada. Logo depois de tomar o gol, o meia Giovanni cobrou falta e Alex Silva marcou de cabeça, empatando. Aos 31, em um contra-ataque, Michael achou Alex Silva sozinho e o lateral virou o jogo para os goianos, depois de duas tentativas. Nos acréscimos, a cereja no bolo: contra-ataque de três contra um, que Giovanni recebeu, livre, e tocou para marcar 3 a 1. A Série A era uma realidade.

“Na nona rodada estávamos com dois pontos. Foi um dos trabalhos mais difíceis da minha carreira. São três anos tentando esse acesso. Os jogadores se fecharam, a diretoria deu condições para fazermos nosso trabalho. E está de parabéns. Uma alegria ao nosso torcedor. No próximo sábado, a torcida vai lotar o Serra Dourada para a festa do acesso”, disse o treinador, ao final do jogo, ao Premiere.

“Tivemos uma grande dificuldade no começo do campeonato. Mas conseguimos a vitória que nos garantiu o acesso”, disse o lateral Alex Silva, autor de dois gols no jogo que selou o acesso. O autor do terceiro gol também falou. “É uma felicidade tremenda. Nos primeiros sete jogos somamos dois pontos. Escutamos de torcedores que éramos o pior time do Goiás, olha o resultado hoje. Fico feliz pela entrega, pelas viradas, time experiente que toma gol e não se abate. Saiu um peso tremendo. Fomos humilhados mesmo sendo campeões estaduais. Jogadores experientes que passaram por vários clubes. Gostaria de agradecer a todos”, disse Giovanni, jogador da base do Corinthians.

O time tem vários jogadores experientes. O próprio lateral Alex Silva, de 24 anos, está emprestado ao clube de Goiânia vindo do Atlético Mineiro. O time ainda tem o zagueiro Victor Ramos, ex-Palmeiras e Vitória, de 29 anos, titular nesta última partida e em quase toda Série B. O elenco ainda tem Edcarlos, ex-São Paulo e Atlético Mineiro. O goleiro é Tiago Cardoso, 34 anos, que se tornou conhecido defendendo o Santa Cruz. O time ainda conta com Renato Cajá, ex-Ponte Preta, Felipe Gedoz, ex-Atlético Paranaense, Tiago Luís, ex-Santos, e Júnior Viçosa,ex-Grêmio, Sport e Atlético Goianiense.

O artilheiro do time na Série B, porém, é o atacante Lucão, 27 anos, que já passou por diversos times brasileiros e do exterior. Em 2017, jogou pelo América de Natal e Criciúma. Em dezembro, fechou com o Goiás. Nesta Série B, tem 16 gols, um a menos que o artilheiro até aqui, Dagoberto, do Londrina, que tem 17. Falta um jogo e a disputa segue aberta. Na última rodada, o Goiás não disputa nada, já que o acesso está garantido. Mas Lucão certamente disputará a artilharia. Até porque Dagoberto também tentará marcar seus gols e garantir o topo da lista de gols.

O Goiás foi rebaixado em 2015, quando foi o 19ª colocado entre os 20 times da Sërie A. Caiu junto com Avaí, Vasco e o lanterna, Joinville. Fez apenas 38 pontos naquela edição. Em 2016, o time passou longe de brigar pelo acesso. Terminou em 13º. Ficou mais perto do rebaixamento do que de brigar no alto. Em 2017, ainda pior: ficou em 14º, com ainda menos pontos, e novamente beirou o rebaixamento.

Tudo indicava que o ano de 2018 seria parecido. Com dois pontos nos primeiros sete jogos, o time estava afundado na zona do rebaixamento. Parecia que o time teria que brigar, outra vez, contra o rebaixamento. Só que o aproveitamento mudou. E mudou muito. Da nova rodada em diante, quando assumiu Ney Franco, são 17 vitórias, quatro empates e sete derrotas. O time se encaixou e passou a ser um candidato forte. Será o único entre os goianos na Série A, depois de tanto Vila Nova quanto Atlético Goianiense brigarem pelo acesso em momentos diferentes.

Depois de ser campeão estadual, o Goiás conseguiu o que era mais importante no ano, o acesso. Assim, terá um 2019 com muito mais esperança. Goiânia está de volta à Série A. O Goiás também. E o sonho é ser aquele time que, em 2013, terminou em sexto. Em outros momentos, viveu épicos como em 2003, que Cuca salvou o time do rebaixamento. Ou em 2005, quando o Goiás tem a sua melhor colocação na história do Brasileiro, conquistando vaga na Libertadores de 2006. Caiu nas oitavas de final contra o Estudiantes.

Estar na Série A não é pouca coisa e o Goiás sabe que terá que aproveitar bem a chance. Até porque agora, o time não tem mais o contrato assinado de TV. Cair para a Série B, a partir de 2019, significará uma mudança de orçamento gigante para um clube que se beneficiou de um acordo anterior quando caiu. É preciso pensar o futuro. E o Goiás já anseia por receber os maiores times do país no Serra Dourada.


Os comentários estão desativados.