Barça e Dortmund foram os donos da festa nos 150 anos do futebol

Blaugranas e aurinegros venceram seus clássicos, a Roma quebrou recorde na Itália, o Atlético de Madrid goleou. Confira o balanço da rodada no futebol internacional

O final de semana foi especial para o futebol. Afinal, no sábado o esporte completou 150 anos de sua criação ‘formal’, o primeiro encontro que definiu as regras que o regem até hoje. E, mesmo que nada tenha sido planejado, a rodada guardou boas surpresas para os últimos dois dias. Vitórias de Barcelona e Borussia Dortmund em seus maiores clássicos, recorde da Roma no Campeonato Italiano, atuações de gala de David Villa, Fernando Torres, Luis Suárez, Neymar e Andrés Iniesta. Veja o que de melhor rolou em nosso balanço:

O jogão

Barcelona 2×1 Real Madrid

A ocasião era perfeita para o aniversário do futebol. Barcelona e Real Madrid, o clássico que mais mobiliza atenção no mundo, no Camp Nou abarrotado de torcedores. E o jogo foi muito bom, satisfazendo as exigências de quem acompanhava o espetáculo. Tudo bem que os torcedores merengues não ficaram contentes com o resultado, mas não deixaram de ver um jogo disputado. Melhor para os blaugranas, que foram superiores durante a maior parte do tempo e justificaram a vitória por 2 a 1 – ainda que os visitantes tenham ficado na bronca com as decisões da arbitragem.

Na comemoração do esporte bretão, os donos da festa foram Andrés Iniesta e Neymar. O espanhol foi o melhor em campo, mostrando todo o seu talento para tratar a bola com a maestria que ela merece. Já o brasileiro foi decisivo logo em seu primeiro clássico, abrindo o placar e dando o passe para Alexis Sánchez marcar o segundo. E as velas do bolo foram apagadas por Daniel Alves, no belo drible entre as pernas de Cristiano Ronaldo que executou no fim do jogo. Um belo presente aos amantes do futebol.

O clássico

Schalke 04 1×3 Borussia Dortmund

Germany Soccer Bundesliga

A torcida do Borussia Dortmund foi até Gelsenkirchen apenas para festejar. Nem mesmo o fato de jogar no campo dos rivais intimidou os aurinegros, que conquistaram uma vitória imponente no dérbi da Renânia do Norte-Vestfália. Em um jogo em que Roman Weidenfeller defendeu até pênalti de Kevin-Prince Boateng, os gols foram marcados por Pierre-Emerick Aubameyang, Nuri Sahin e Jakub Blaszczykowski. O nome do jogo, contudo, foi Henrikh Mikhtaryan, autor de duas assistências. Uma festa que só não foi maior porque o Bayern de Munique derrotou o Hertha Berlim e se manteve um ponto à frente na liderança.

O vexame

Parma 3×2 Milan

O Milan dá continuidade a sua péssima temporada na Serie A, em que mais uma vez parece não ter fôlego para a Liga dos Campeões. A derrapada desta vez aconteceu no Estádio Ennio Tardini, contra o Parma. Os gialloblù começaram a partida com tudo, abrindo dois gols de vantagem em tentos de Marco Parolo e Antonio Cassano (olha a lei do ex aí). No entanto, o espírito do bom futebol baixou nos rossoneri em meados do segundo tempo, com dois gols em três minutos, de Alessandro Matri e Matias Silvestre. Embalo para a virada, certo? Nada disso: o Milan entregou a paçoca aos 49 do segundo tempo, em gol de Parolo cobrando falta de muito longe. Patético.

O recorde

Udinese 0x1 Roma

Italy Soccer Serie A

Quem vai segurar a Roma na Serie A? Os giallorossi igualaram o melhor início da história do campeonato, com nove vitórias em nove jogos. E os méritos dos romanos precisam ser exaltados, já que a outra detentora da marca é a Juventus, só que em 2005/06, ano em que teve seu título anulado por causa do Calciopoli. O recorde veio na base do sofrimento: 1 a 0 sobre a Udinese no Estádio Friuli, gol de Michael Bradley já no fim da partida. Um ótimo resultado para manter a sequência impressionante, que deve ser ampliada nas próximas semanas.

O craque

David Villa
Atlético de Madrid 5×0 Betis

Se o Atlético de Madrid já achava que tinha feito um bom negócio ao tirar David Villa do Barcelona a preço de banana, a certeza aumentou nesse domingo. El Guaje fez sua melhor partida desde que chegou aos rojiblancos, na goleada por 5 a 0 sobre o Betis no Vicente Calderón. Foram dois gols do camisa 7 – um deles, belíssimo – e o passe para que Diego Costa mais uma vez balançasse as redes por La Liga. Radamel Falcao García deixou saudades, mas sua falta não está sendo nem um pouco sentida com uma dupla tão efetiva.

O iluminado

Fernando Torres
Chelsea 2×1 Manchester City

Britain Soccer Premier League

Placar zerado, chance de gol clara. Fernando Torres recebeu uma bola no mano a mano com Joe Hart e desperdiçou. Normal para o espanhol, que não vive mais uma fase espetacular há tempos? Foi, mas serviu para que o atacante acordasse como poucas vezes fez na carreira. Depois daquele lance, Torres fez uma partidaça pelo Chelsea. Deu o passe para André Schürrle marcar, acertou uma bola na trave e marcou o gol da vitória nos acréscimos do segundo tempo, 2 a 1 contra o Manchester City, para levar à loucura o Stamford Bridge. Não à toa, recebeu elogios rasgados de José Mourinho depois do jogo.

O brasileiro

Bernard
Shakhtar Donetsk 4×0 Zorya

Maior contratação da história do Shakhtar Donetsk, Bernard já tinha começado a pagar seu alto preço com assistências. Em seu nono jogo pelo clube, a goleada por 4 a 0 sobre o Zorya, o meia deixou o seu primeiro gol. Antes disso, para não deixar a torcida desacostumada, o brasileiro já tinha dado o passe para Taras Stepanenko abrir o placar. Logo na sequência, aproveitou o lançamento de Darijo Srna para chutar cruzado e festejar. E o fim do massacre veio com mais uma assistência de Bernard, desta vez para Facundo Ferreyra.

O artilheiro

Luis Suárez
Liverpool 4×1 West Bromwich

Depois de esperar um bocado para poder estrear na Premier League, Luis Suárez está tirando a barriga da miséria. O uruguaio só disputou quatro jogos da competição e já é o terceiro na tabela de artilheiros, com seis gols, atrás de Daniel Sturridge e Sergio Agüero. Um número impulsionado graças à atuação do domingo, quando balançou as redes três vezes nos 4 a 1 que o Liverpool enfiou sobre o West Bromwich. Foi uma partida completa do camisa 7: demonstrou técnica, garra, oportunismo e habilidade. E só não fez o tento mais bonito da noite porque Sturridge quis roubar a cena com uma bela cobertura.

O golaço

Franck Dja Djedje e José Otoniel Salinas

Existem golaços para todos os gostos, certo? Então deixamos você fazer a opção pelo que mais lhe agrada. O tento de Franck Dja Djedje pelo Chornomorets Odessa, no Campeonato Ucraniano, foi basicamente plástico. Matada no peito e uma bicicleta perfeita. Enquanto isso, José Otoniel Salinas destilou sua habilidade no Campeonato Salvadorenho. A façanha pelo Atlético Marte contou com dribles em cinco defensores, antes do chute na saída do goleiro. Qual o seu preferido?

A lambança

Oliver Baumann e Ali Ahamada

O páreo aqui é duríssimo. Oliver Baumann protagonizou três frangos homéricos na derrota por 3 a 0 do Freiburg para o Hamburgo. Mas Ali Ahamada não deixou por menos: com a colaboração de seus defensores, falhou nos cinco gols engolidos nos 5 a 0 do Rennes sobre o Toulouse. Quem foi o pior? Também deixamos a decisão para você nessa.