O dia 8 de julho está encravado na história do futebol brasileiro desde 2014. Há seis anos, a Alemanha, vestida de rubro-negra, atropelou o Brasil de uma forma nunca antes vista em uma semifinal de Copa do Mundo. Os 7 a 1 viraram piada, meme e uma marca forte para o futebol brasileiro, que terá que carregar eternamente. Normalmente só fazemos textos em datas redondas, como 10, 15, 20, 25 anos, mas como acreditamos que é preciso lembrar sempre deste episódio, colocamos aqui textos que fizemos naquele dia, o dia do 7 a 1. Confira abaixo e clique no título para ler os textos:

Alemanha fulminante massacra Brasil atordoado

A nota do jogo, que relata como foi aquela partida. O Brasil esteve em campo, mas quem jogou mesmo foram os alemães.

Khedira e Kroos foram os tratores que esmagaram o Brasil

Naquele massacre, o meio-campo do Brasil não existiu. Quem comandou a festa dos alemães foram Khedira e Kroos, que tabelaram dentro da área brasileira. Aqui, a análise sobre os destaques daquele jogo.

Não faltou talento ao Brasil, faltou time bem armado

Um dos argumentos usados para explicar o 7 a 1 foi dizer que o time não tinha talento. Naquele dia, falamos que o problema não era esse, e sim um jogo coletivo bem feito, algo que sobrava nos alemães.

Dez coisas óbvias que só Felipão não estava vendo

Caio Maia traz a sua análise sobre erros da preparação, convocação e do time do Brasil naquela Copa, sob o comando de Felipão.

A Seleção precisa se reinventar? Ok, isso é comum na história

Dias depois do 7 a 1, foi a hora de colocar em perspectiva. O Brasil estava demolido, mas era preciso pensar o que fazer a partir dali. E a história tem lições valiosas sobre como a Seleção se remontou em diversas situações.

Como outras seleções se reinventaram de seus 7 a 1

Nos anos seguintes, o 7 a 1 continuava sendo um assunto. Em 2015, lembramos do acontecimento do ano anterior falando sobre como outras seleções se reinventaram ao longo da história.

Efeito borboleta: o homem que voltou no tempo para salvar o Brasil do Chile e causou o 7 x 1

Em 2016, o 7 a 1 foi novamente assunto, mas desta vez em um texto ficcional. A história conta sobre um torcedor que voltou no tempo para evitar a eliminação brasileira contra o Chile e acabou por causar o maior vexame da história da Seleção.