A Nike apresentou nesta segunda-feira a sua nova chuteira Phantom Venom, focada nos artilheiros. A chuteira é pensada e criada para permitir um melhor impacto na bola, visando a finalização. A ideia é dar mais precisão nas áreas da chuteira mais usadas pelos artilheiros. Para isso, a empresa conta que trabalhou em laboratório, com uma perna mecânica, com milhares de chutes sendo simulados para aprimorar e entender as áreas mais usadas e quais precisam de uma textura diferente.

LEIA TAMBÉM: O trailer do filme oficial da Copa faz bater aquela nostalgia sobre o Mundial de 2018

“Como eu marquei não importa: um gol é um gol”, diz Alex Morgan, estrela da seleção feminina dos Estados Unidos e jogadora do Orlando City. “Eu sou uma finalizadora. Meu jogo tem a ver com um bom equilíbrio entre força e posicionamento. Depende de onde eu estou posicionada, mas diria que meu sucesso tem uma relação de 60/40 em termos de precisão vs. força”.

“Ter uma mente clara é fundamental para que se possa ser um excelente finalizador”, diz Harry Kane, artilheiro do Tottenham e capitão da seleção inglesa. “Você precisa lembrar que o próximo toque na bola é sempre o mais importante. Eu tenho que estar pronto e preciso que minhas chuteiras estejam prontas também”.

Para chegar nisso que os atacantes querem, a Nike trabalhou para criar 13 zonas de impacto que chamou de “Precision Power”, definidos a partir da experiência em laboratório. “Fizemos uma parceria com nosso laboratório de pesquisas para utilizar uma perna robótica, batendo na bola a partir de vários ângulos, com lâminas de uretano injetadas no peito do pé”, observa Jeongwoo Lee, Diretor Sênior de Design de Futebol da Nike.

“Isso nos permitiu analisar estatisticamente os impactos repetidos nas lâminas em termos de precisão, elevação, potência e rotação. Os dados do laboratório nos ajudaram a obter as especificações exatas para desenvolvermos essa zona de impacto importantíssima para esses jogadores que buscam sempre finalizador em gol”, diz ainda o executivo da Nike.

As zonas de impacto, segundo a Nike visam ajudar para que haja impulsão e, assim, facilite para que a bola seja chutada. A zona de impacto é 30% maior que o modelo anterior, Hypervenom3, segundo comunicado da empresa. A placa Hyper-Reactive, usada no modelo anterior, é inspirada em tênis de corrida, o Nike Free, de forma a ser flexível e que os movimentos possam ser executados com rapidez. Foram aprimoramentos feitos pela Nike para o modelo atual, que promete ainda mais.

A Phantom Venom estará na loja online da marca, Nike.com, a partir do dia 19 de janeiro, e também em lojas selecionadas. Os jogadores, como o brasileiro Malcom, passam a utilizar o novo modelo já neste fim de semana.

Malcom com a chuteira Pahntom Venom (Foto: divulgação)
Malcom com a chuteira Pahntom Venom (Foto: divulgação)
Harry Kane com a chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Alex Morgan com a chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Alex Morgan com a chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Fotos da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Projeto da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Projeto da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)
Projeto da chuteira Phantom Venom (Foto: divulgação)