A Ligue 1, organizadora da primeira divisão do futebol francês, anunciou, nesta quarta-feira, as punições aos jogadores envolvidos na confusão ao fim da vitória do Olympique Marseille, por 1 a 0, sobre o Paris Saint-Germain, no último domingo. Neymar foi suspenso por duas partidas pelo tapa na cabeça de Álvaro González, a quem acusou de racismo.

A única menção à denúncia do brasileiro saiu no final da nota emitida pela Ligue 1, prometendo abrir uma investigação. “Sobre o caso de Álvaro González, pela natureza dos fatos, a Comissão (Disciplinar) decidiu colocar o caso sob investigação”, escreveu a liga francesa.

Segundo a AFP, o presidente da Comissão Disciplinar, Sebastien Deneux, disse que as evidências ainda não eram suficientes para substanciar as alegações de ofensas racistas. O inquérito estudará as imagens mais afundo para estabelecer “o que foi realmente escutado”, acrescentando que a comissão decidira apenas em “elementos objetivos e tangíveis”.

O entorno de Álvaro González negou as acusações de racismo e disse que Neymar o atacou com insultos homofóbicos.

Leandro Paredes também recebeu dois jogos de suspensão, e Darío Benedetto, um. A forte dividida entre os dois deu início à confusão, que seguiu com um entrevero entre Layving Kurzawa, do PSG, e Jordan Amavi, do Marseille. Kurzawa recebeu a punição mais pesada, suspenso por seis partidas, e Amavi ficará fora de três.

.