Uma das principais discussões futebolísticas de domingo envolveu os golaços da rodada no Campeonato Espanhol. Horas depois de Iñaki Williams anotar sua pintura pelo Athletic Bilbao, Neymar aprontou das suas com o Barcelona. Gols que se lembram, mas têm suas próprias graças: o domínio e o míssil do basco, a malemolência e a intuição do brasileiro. Pois se quisermos seguir na categoria “chapéu e redes estufadas”, o final de semana contou com mais uma pintura do tipo, como buscou o blog do Copa90. O nível de exigência do Campeonato Cipriota pode ser menor, mas Chris Dickson caprichou tanto quanto Iñaki ou Neymar.

A obra de arte do ganês aconteceu na derrota por 3 a 1 do seu time, o Enosis Neon Paralimni, para o Nea Salamis. E o gol de honra não poderia ter acontecido com mais estilo. Após o passe do companheiro, Dickson chapelou o rival com apenas um toque. E, de fora da área, sem deixar a bola cair, bateu de primeira para encobrir o goleiro adversário. Tão candidato ao Prêmio Puskás quanto os dois golaços do Espanhol.