A rodada do futebol internacional foi especial. Não por um título conquistado ou por algum recorde quebrado. Em um final de semana que não parecia ter nada de diferente, a emoção das partidas acabou superando as expectativas. Juventus e Milan fizeram um clássico e tanto pela Serie A. Na Argentina, a tensão imperou no Superclássico entre River e Boca. Totti e Neymar sobraram em campo por Roma e Barcelona. O Borussia Dortmund perdeu sua invencibilidade na Bundesliga, o Real Madrid se safou outra vez nos acréscimos e o PSG venceu o grande clássico da Ligue 1. Confira os destaques:

 

O jogão

Juventus 3×2 Milan

Jogando em casa, a Juventus teve que sofrer para conseguir a vitória que a mantém próxima do líder da Serie A. Com o gol do Milan logo no primeiro minuto de jogo, a Juve teve que trabalhar muito até virar no segundo tempo, usando o seu banco de reservas, com a Formiga Atômica, Sebastian Giovinco. Isso, claro, sem falar em Andrea Pirlo, que participou dos outros dois gols e foi decisivo para a vitória. Nem tomar dois gols de Sulley Muntari, um feito de poucos na vida, foi suficiente para levar a Juventus à derrota.

O clássico

River Plate 0x1 Boca Juniors

O River seguiu à risca o manual do mandante: pressionou o rival Boca desde o início do jogo, desde a saída de bola. Criou mais, encurralou os xeneizes dentro da área em diversos momentos. Resultado: Boca 1 a 0. E como não tinha torcida dos bosteros no estádio, os jogadores assumiram o papel de hinchas e gritaram os cantos da torcida do time.

O vexame

Montpellier 5×1 Lyon

É, a vida do Lyon não está fácil. Com um time cada vez mais fraco pelo baixo orçamento, o início na Ligue 1 está sendo irregular. E, pior, ainda rendeu uma baita goleada na nona rodada da competição. O 5 a 1 do Montpellier foi um sacode desses para fazer perder o rumo de casa. O Lyon titubeia e é só o 14º na tabela. Vida dura dos lioneses na Ligue 1.

A lambança

Martin Olsson
Norwich 1×3 Chelsea

O Norwich empatava com o Chelsea por 1 a 1 quando Martin Olsson teve uma chance de colocar seu time na frente. Afinal, faltavam só nove minutos para o fim e, naquela altura, um gol poderia determinar a partida. Bom, aí ele fez o “chute no vácuo” de Valdívia (que não é no vácuo, é bom sempre lembrar) e caiu no chão. Sim, porque o drible de Valdívia é intencional, já isso aí… E pior: o Chelsea ainda marcou duas vezes e venceu o jogo.

A goleada

Napoli 4×0 Livorno

Napoli desfalcado do seu artilheiro. Faltam gols? Nada disso. O Napoli partiu para cima e destroçou o pobre Livorno. Goran Pandev, substituto do artilheiro Gonzalo Higuaín, tratou de marcar o seu e ainda deu uma assistência. Destaque também para Dries Mertens, que fez uma grande partida, substituindo Lorenzo Insigne, que ficou no banco. Goleada que deixa o Napoli ali nos calcanhares da Roma, com 19 pontos contra 21 do time da capital.

A refugada

Olympique de Marseille 1×2 Paris Saint-Germain

Em um dos clássicos de maior rivalidade na França, o Olympique de Marseille desperdiçou a chance de dar um calor na briga entre PSG e Monaco e se colocar no meio. Começou vencendo, graças a um gol de Andre Ayew, mas acabou vendo Mandanda bobear e tomar o gol de empate. Aí, ainda estragou tudo com um pênalti bobo no brasileiro Marquinhos, que Ibrahimovic tratou de guardar. E agora, o PSG continua empatado em pontos com o Monaco com 21 pontos. O Marseille é quarto, com 17.

O craque

Francesco Totti
Internazionale 0x3 Roma

Com 37 anos recém-completos, Totti segue como um dos melhores jogadores italianos em atividade. Contra a Inter, em um duelo difícil, o capitão comandou os giallorossi com dois gols, deles de fora da área, e um passe para o terceiro, de Florenzi. Uma atuação tão boa que já suscita uma questão constante na Itália: será que ele ainda pode ser útil para a seleção? A essa altura, até o técnico da Azzurra, Cesare Prandelli, deve ter essa dúvida.

O golaço

Rafael van der Vaart
Nürnberg 0x5 Hamburg

Um dos times mais tradicionais da Alemanha, o Hamburg vinha em uma crise terrível, com um início de temporada daqueles que não animam nem os torcedores mais do estilo bobo alegre. Até o jogo de domingo, o time tinha quatro derrotas, dois empates e só uma vitória. Bom, ao menos a segunda vitória foi emblemática. Os 5 a 0 sobre o Nürnberg foram um massacre comandado pela estrela do time, o holandês Rafael van der Vaart, que abriu a goleada com um gol sensacional. Depois, Lasoga fez três gols e também se destacou. A situação ainda é crítica, o Hamburg é o primeiro time fora da zona do rebaixamento com oito pontos em oito jogos, em 15º.

A virada

Levante 2×3 Real Madrid

O Real Madrid conseguiu uma virada fantástica sobre o Levante. O Levante fez o segundo gol, o gol do 2 a 1, aos 41 minutos do segundo tempo. O que parecia ser o gol da vitória do time de Valencia acabou invertendo tudo: Álvaro Morata, que entrou no segundo tempo, marcou o gol de empate aos 45 minutos da etapa final. E quando o empate já parecia ser um enorme lucro, Cristiano Ronaldo ainda marcou um golaço quase aos 50 minutos e deu a vitória ao time merengue.

O brasileiro

Neymar
Barcelona 4×1 Valladolid

Neymar é cada vez mais Neymar no Barcelona também. Contra o Valladolid, sem ter Messi, o time nem sentiu muita falta. O brasileiro foi o melhor jogador da partida e esteve envolvido nos gols da equipe, além de marcar o seu. Ele assumiu o papel de protagonista, mesmo com Xavi e Fàbregas em campo. A sua atuação o credencia para ser decisivo como se esperava que ele fosse. Quando Messi voltar, terá um Neymar mais confiante. E o Barcelona de Tata Martino chega a oito vitórias em oito jogos.

O artilheiro

Diego Costa
Atlético de Madrid 2×1 Celta

O Atlético de Madrid é, talvez, o time mais sul-americano da Europa. Não é por acaso: joga com aquele estilo Libertadores, sem craques, mas cheio de jogador que cabeceia a bola no chão e que não tem medo de bola dividida. Mais do que isso, é um time organizado, tanto para marcar quanto para atacar. Pressiona a saída de bola do adversário, tem um atacante que é mais raçudo que muito volante e que é o artilheiro do campeonato: Diego Costa. Ele não é nenhum craque para ser disputado por duas seleções de ponta como Espanha e Brasil, mas é muito útil. E Diego Simeone, que faz do Atlético de Madrid esse time duríssimo de ser batido, sabe muito bem disso. Não por acaso, os Colchoneros de Simeone têm oito jogos e oito vitórias e está empatado em pontos com o Barcelona.

Bônus

Vancouver Whitecaps 2×2 Portland Timbers

Golaço de Camilo Sanvezzo, atacante que começou no Corinthians de Alagoas e passou pelos desconhecidos Qormi, de Malta, e Gyeongnam, da Coreia do Sul, antes de chegar ao Vancouver Whitecaps. No empate por 2 a 2 com o Timbers, o brasileiro marcou um golaço de voleio. E fazer gol não é exatamente uma novidade para Camilo. Nesta temporada da MLS, são 24 jogos e 18 gols. É a sua melhor temporada pelo clube. Confira o gol: