Neste 20 de novembro, os clubes brasileiros se manifestaram, agiram, deram voz e exaltaram os ídolos negros de sua história

Os clubes brasileiros se posicionaram amplamente neste 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. Os 20 times da Série A e 18 da Série B fizeram ao menos uma manifestação em suas redes sociais, pedindo a reflexão e o combate ao preconceito. E boa parte dos clubes foi além: eles agiram. Deram voz a negros, resgataram a memória de seus ídolos negros, trouxeram à tona dados e situações que apontam o racismo. Adotaram uma postura mais efetiva numa luta que precisa ser diária, buscando conversar com mais gente e também representar quem mais precisa ter sua causa ouvida.

É importante notar como muitos clubes não tratam o 20 de novembro como uma mera oportunidade de marketing. Eles reforçam seu papel social, o seu posicionamento e a necessidade de se fazer mais na luta pela igualdade. Algumas equipes atuaram em conjunto com o Observatório da Discriminação Racial no Futebol, entidade fundamental no combate ao racismo dentro do esporte e da sociedade brasileira. Além disso, diversos jogadores se manifestaram também dentro de campo. Na Série A, antes de Red Bull Bragantino x Bahia, os atletas ficaram de punhos cerrados e erguidos. O mesmo gesto se repetiu em diversas comemorações de gol na rodada da Série B.

Dentre as iniciativas dos clubes, o Bahia merece uma menção especial, ao fazer uma doação de alimentos a bairros pobres de Salvador e ao lançar um programa de trainee a pessoas pretas. O Internacional lançou um vídeo interessantíssimo, ao apresentar a Porto Alegre negra. Já o Cruzeiro levou a campo em suas camisas vários termos racistas que precisam ser riscados do vocabulário. Abaixo, reunimos postagens dos 39 times das duas primeiras divisões que se posicionaram. Fica o convite para outros registros na caixa de comentários: