Argentina

Sergio Romero – 6

As duas bolas que chegaram ao gol, Romero defendeu. Deu uma vacilada em chute de De Bruyne, mas não suficiente para comprometer o time, conseguindo defender de maneira esquisita.

Pablo Zabaleta – 6,5

Muito seguro defensivamente, anulou Hazard e depois Chadli, embora seja verdade que nenhum dos dois tenha sido lá um grande desafio.

Martín Demichelis – 6,5

A insegurança que tinham por causa de sua lentidão foi ofuscada pela boa partida de Demichelis e do setor defensivo argentino em geral. Bem posicionado, soube afastar o perigo.

Ezequiel Garay – 7

Melhor da defesa argentina, Garay foi fundamental em dois lances e, atento, foi o que mais interceptou passes, com seis no total.

José María Basanta – 6,5

Como zagueiro improvisado na lateral esquerda, fez o que poderia. Não apoiou no ataque, mas foi muito bem na defesa, e Mirallas, em especial, não viu a bola no primeiro tempo.

Lucas Biglia – 6

Não foi espetacular, mas melhorou a transição da bola do ataque para a defesa e ajudou a melhorar os passes do time. Melhor que Gago foi anteriormente. Pode ter conquistado a vaga de vez.

Javier Mascherano – 6,5

Foi o que mais tocou na bola no meio de campo argentino. Como primeiro volante, ajudou o setor defensivo a fazer uma partida tão boa.

Ángel Di María – 6,5

Teve de deixar o jogo ainda aos 33 minutos do primeiro tempo, mas enquanto esteve em campo foi importantíssimo. Movimentou-se bem, tocando constantemente na bola  e ajudando a criar chances para o time.

(Enzo Pérez) – 6

Não manteve o nível ofensivo de Di María, mas também não comprometeu para a Argentina. Boa opção de banco.

Lionel Messi – 7,5

Não fez gol ou deu assistência, mas, com uma função de maior criatividade que nos últimos jogos, deu passes fantásticos, se movimentou muito bem e só não deixou o seu porque Courtois fez uma grande defesa no fim do jogo.

Ezequiel Lavezzi – 6,5

Muito mais participativo que nos outros jogos. Sua melhora foi um dos fatores para que a Argentina fizesse seu melhor jogo na Copa até agora.

(Rodrigo Palacio) – 6

No momento que entrou, a Argentina já não atacava tanto, e, por isso, não teve participação significativa nos pouco mais de 20 minutos.

Gonzalo Higuaín – 7,5

Depois de seis jogos sem marcar pela seleção, sua maior seca, fez um grande jogo, marcando o bonito gol da vitória e quase anotando outro golaço, no segundo tempo, quando arrancou da intermediária deu drible desconcertante em Kompany e acertou o travessão.

(Fernando Gago) – sem nota

Bélgica

Thibaut Courtois – 6,5

Fez apenas uma defesa, quando evitou o gol de Messi no fim do jogo, operando um milagre e interceptando uma bola cavada.

Toby Alderweireld – 6

Foi importante defensivamente, sobretudo com desarmes, mas não impediu que Lavezzi fizesse seu melhor jogo até agora.

Vincent Kompany – 6,5

Apesar da derrota, fez uma boa partida. Foi essencial em alguns lances e fez cinco desarmes no total.

Daniel van Buyten – 6

Mais discreto, não teve nenhum lance memorável de marcação, mas ajudou com quatro desarmes.

Jan Vertonghen – 6,5

O zagueiro improvisado na lateral que na verdade é mesmo lateral foi bem mais uma vez. Não contribuiu tanto defensivamente, mas apoiou o ataque e criou chances.

Marouane Fellaini – 6,5

Esteve em todas as partes do campo. Onde você olhava, via a cabeleira de Fellaini, que, apesar da participação, não conseguiu criar perigo quando subia ao ataque.

Axel Witsel – 6

Jogador que mais deu passes na seleção belga, acertou grande parte deles, mas criou apenas uma chance com eles.

Kevin Mirallas – 5

Teve uma atuação facilmente esquecível e ainda deixou o campo reclamando da substituição.

(Dries Mertens) – 5,5

Entrou melhor que Mirallas, mas também não fez nada demais. Ainda desperdiçou uma boa chance pela esquerda.

Kevin De Bruyne – 6,5

Foi o melhor do setor ofensivo belga, o que não é novidade nesta Copa. Começou centralizado, mas depois caiu pela direita. Não pode contribuir mais por causa da falta de criativadade dos Diabos Vermelhos.

Eden Hazard – 5

Dizem que veio para o Brasil, mas não há provas. Completamente sumido, não buscava a responsabilidade e errava quando tinha a bola. Teve uma Copa para esquecer.

(Nacer Chadli) – 5,5

Nos 20 minutos que esteve em campo, não fez nada, dando apenas sete toques na bola.

Divock Origi – 5,5

Pela partida ruim ofensivamente da Bélgica, não teve uma grande atuação. Mas quando teve a bola mostrou a mesma qualidade dos outros jogos: velocidade e bom controle da Copa.

(Romelu Lukaku) – 6

Foi importante para a pressão final da Bélgica, mas desperdiçou ótima chance dentro da área, errando cruzamento a poucos metros de seus companheiros melhor posicionados.

Árbitro

Nicola Rizzoli – 6,5

Não interferiu no jogo para que tivesse uma nota menor e também não precisou fazer nenhuma decisão difícil, o que lhe daria uma nota maior em caso de acerto.