Após 25 anos de carreira, o goleiro Carlos Fernando Navarro Montoya anunciou, nesta sexta, sua aposentadoria. Argentino nascido na Colômbia, Navarro Montoya convocou uma entrevista coletiva para falar sobre a decisão.

Na coletiva, o arqueiro, famoso pelas camisas coloridas que usava em campo, explicou o fim da carreira: “São muitas as satisfações que a vida me deu, ao longo dos 25 anos como futebolista, profissão que me fez muito feliz. Pensei muito nesta decisão, e estou tranquilo por tê-la tomado. Quero seguir com coerência. Fica a alegria por ter tido excelentes momentos, e uma boa relação com meus companheiros, em todos os times por que passei.”

Navarro Montoya ainda falou que não fará nenhuma cerimônia especial de despedida, e que deve seguir a carreira de treinador: “Não gosto de despedidas e homenagens, então nada do tipo será feito. Tomara que eu, que tive a sorte de estar ao lado de grandes treinadores, possa transmitir aos jogadores, daqui por diante, tudo que aprendi.”

Apelidado “El Mono” (O Macaco), Navarro Montoya estreou no Vélez Sarsfield, em 1984. Em 1986, foi para o Santa Fé, da Colômbia, onde passou um ano, voltando depois ao Vélez. Em 1988, foi para o Boca Juniors, onde passou oito anos e conquistou vários títulos, como uma Supercopa da Libertadores (1989), uma Recopa Sul-Americana (1990) e um Campeonato Argentino (1992).

Após deixar os Xeneizes, Navarro Montoya jogou na Espanha, por Mérida (1997 e 1998) e Tenerife (1998 a 2000) e no Chile, por Deportes Concepción (2001). Depois, voltou à Argentina, para atuar dois anos no Chacarita Juniors. Em 2004, foi-se para o Independiente, onde passou mais um ano. No ano seguinte, transferiu-se para o Gimnasia La Plata.

Em 2006, teve rápida passagem pelo futebol brasileiro, atuando no Atlético Paranaense. Depois, passou por Nueva Chicago e Olimpo de Bahía Blanca, novamente na Argentina, e teve seu último clube no Tacuarembó, do Uruguai, onde foi dispensado neste ano.

Por seleções, apesar de ter passado a maior parte de sua carreira na Argentina, não pôde defender a Albiceleste, já que, na repescagem das Eliminatórias da Copa de 1986, jogou três partidas pela Colômbia.


Os comentários estão desativados.