Parece que o caos no PSG incomoda o presidente do clube, Nasser Al-Khelaifi, que deu uma entrevista bastante dura para falar sobre o comportamento dos jogadores. As questões fora do gramado foram grandes na temporada 2018/19 e não só por causa de Neymar e suas polêmicas. Até Kylian Mbappé e outros jogadores se envolveram em polêmicas ao longo da temporada e isso parece ter esgotado a paciência do dirigente.

A questão Neymar é algo que parece incomodar. Além da lesão, que não é culpa do jogador, houve incidentes que desgastaram a relação com o clube. O incidente com o torcedor na final da Copa da França, quando ele dá um soco, gerou repercussão muito negativa. Neymar, porém, não foi o único.

Kylian Mbappé, na festa de premiação da Ligue 1, disse que chegou ao ponto de virada da sua carreira e estaria aberto a um novo projeto. Thomas Meunier, lateral direito belga, também deu declarações sobre deixar o clube do Parque dos Príncipes. Adrien Rabiot se recusou a assinar a renovação do seu contrato e foi afastado em janeiro.

Os problemas fora de campo envolveram até mesmo o próprio presidente Al-Khelaifi. Em maio, ele negou acusações de corrupção na tentativa do Catar em sediar o Mundial de Atletismo de 2017.

“Os jogadores terão que assumir suas responsabilidades ainda mais que antes. Deve ser completamente diferente”, afirmou o dirigente em entrevista à revista France Football. “Eles irão ter que fazer mais, trabalhar mais. Eles não estão lá para agradar a si mesmos”, continuou Nasser al-Khelaifi. “E se eles não concordarem, as portas estão abertas, ciao! Eu não quero ter mais nenhum comportamento de celebridade”.

Uma das mudanças feitas foi no diretor esportivo. Antero Henrique, muito criticado por não suprir as necessidades do time em termos de contratações pedidas pelo técnico e nem mesmo na gestão do futebol, foi demitido. Em seu lugar vem Leonardo Araújo, que já trabalhou no clube no começo do projeto do clube parisiense.

O relacionamento do técnico do PSG, Thomas Tuchel, com o diretor Antero Henrique, especialmente porque o alemão sentia necessidade de reforços na equipe, especialmente no meio-campo. Isso por causa das lesões, mas também por problemas como o de Adrien Rabiot, que se recusou a assinar a renovação de contrato e, por isso, foi afastado pelo treinador.

“Eu percebi que as mudanças eram essenciais, caso contrário nós não iríamos a lugar algum. Em dois minutos, a questão foi acertada entre nós”, disse o presidente do PSG. “Nós teremos todos os poderes esportivos. Leo, esse é o meu cara. Ele é incrível. Eu tenho total confiança nele. Sua autoridade natural fará bem para todo mundo, especialmente os jogadores”.

As questões vão além da fala do presidente. Segundo o jornal L’Equipe, o PSG está disposto a ouvir propostas por Neymar. Essa é uma das missões de Leonardo, segundo o jornal. Neymar atualmente tem que lidar com uma acusação de estupro e a lesão que teve no tornozelo, que o tirou da Copa América. A ideia do PSG não é exatamente vende-lo, mas está aberto à possibilidade, especialmente porque, ainda segundo o L’Equipe, o jogador tem falado internamente que se sente farto da situação em Paris.

O que pinta como uma reformulação tem três nomes intransferíveis: Marco Verratti, Marquinhos e Kylian Mbappé. Aparentemente, veremos mesmo grandes mudanças no PSG.