A Bundesliga foi mais uma vez exemplo para o futebol mundial, mas não por sua divisão justa de direitos de televisão ou por seus jogos com estádios lotados e bom futebol. O bom exemplo veio do meia Aaron Hunt, do Werder Bremen. Os werderaner venciam o Nuremberg por 2 a 0, neste sábado, quando, aos 30 minutos do segundo tempo, Hunt caiu na área, e o juiz apontou a marca do pênalti. Javier Pinola, que supostamente teria cometido a infração, se dirigiu ao árbitro para reclamar da marcação, mas nem precisou argumentar muito. Imediatamente após o apito, o próprio Hunt foi até o juizão para dizer que não havia sido pênalti.

Tudo bem, você pode pensar: “Ah, com 2 a 0 no placar é fácil ter tamanho fair play!”. Ainda assim, considerando a mania universal dos jogadores de tentarem tirar proveito e ludibriar os árbitros em cada lance, sempre é bom ver uma atitude como a tomada pelo jogador do Werder Bremen.

Após o jogo, em entrevista à Sky, o jogador explicou o lance: “Eu estava buscando aquele contato e queria o pênalti. Foi puro instinto, mas foi errado. Tive que pensar sobre isso, mas nós não queremos vencer uma partida desse jeito”. Pinola também apreciou o gesto e agradeceu ao adversário logo em seguida. Esperamos que algum dia posturas como essa sejam a regra, em vez da exceção!