Carlo Ancelotti já havia recusado o cargo de técnico da seleção italiana, mas os rumores voltaram a emergir na imprensa, mês passado. Sua resposta, no entanto, não mudou. O veterano não está pronto para abrir mão do futebol de clubes. Em busca de um novo projeto, afirmou em entrevista à Milan TV que talvez fique mais um tempo afastado porque o mercado não oferece grandes possibilidades no momento. 

LEIA MAIS: Ancelotti recusa Itália: “Federação precisa resolver suas questões antes de contratar um técnico”

O cenário do futebol europeu, porém, é de dança de cadeiras. Ancelotti é especulado na lista de possíveis sucessores para Arsène Wenger. Outro nessa lista é Massimiliano Allegri, o que abriria uma vaga na Juventus. Antonio Conte também pode deixar o Chelsea e ser substituído por Maurizio Sarri, o que poderia levar Ancelotti para o Napoli. Além disso, o Paris Saint-Germain também procura um novo comandante, com Thomas Tuchel como favorito. O ex-clube de Tuchel, o Borussia Dortmund, é outro no mercado.

“Eu não queria mudar meu trabalho. Foi uma decisão difícil, mas tenho que fazer o que sinto ser melhor. Eu não sei o que acontecerá no futuro próximo. Posso ficar afastado novamente porque honestamente não vejo muitas oportunidades para voltar a treinar. Não é um problema. Acho que alguma coisa aparecerá cedo ou tarde”, afirmou, segundo o Football-Italia. “Não teria problemas em voltar para a Itália”. 

O Milan sempre aparece como uma possibilidade para Ancelotti, mas, no momento, todas as fichas estão depositadas no trabalho de Genaro Gattuso. O treinador disse que conheceu a cúpula do Milan e elogiou o seu pupilo. Acredita que, com paciência, o clube retornará ao primeiro patamar da Europa. Afirmou que vestirá a camisa rossonera para a final da Copa Itália, na próxima quarta-feira, contra a Juventus.

“Claramente é um momento delicado porque o time está um pouco atrás, mas, com os investimentos certos, e as qualidades empreendedoras dos diretores, acredito que eles podem crescer novamente. Os torcedores precisam de um pouco de paciência. O Milan está sendo reerguido, mas isso leva tempo. Há uma boa base e espero que o Milan possa retornar assim que possível”, disse. “Gattuso está indo muito bem. A equipe encontrou sua identidade muito rapidamente. O mais evidente é que o time tem uma identidade nas duas fases do jogo (defendendo e atacando)”.

Ancelotti enviou uma mensagem de solidariedade a Alex Ferguson, que precisou passar por uma cirurgia no fim de semana após ser internado com hemorragia cerebral. Está em recuperação. “Todo o mundo do futebol está triste por causa de Ferguson porque todos sabem o homem que ele sempre foi. Ouvi que a operação correu muito bem, então espero que ele fique bem e possa se recuperar. Ele é uma das melhores pessoas e é por isso que todos ficamos preocupados com ele”, encerrou.