O Grupo F da Liga dos Campeões não possui as camisas mais pesadas, mas anda recheado de bolas nas redes. Apenas oito clubes nesta fase de grupos chegaram aos dois dígitos no número de gols marcados, e três estão justamente nesta chave. A média chega a significativos 4,2 tentos por jogo, sendo que apenas duas vezes um time passou em branco nas dez partidas disputadas até o momento. Não foi diferente nesta terça-feira. Se Lyon 2×2 Manchester City fizeram um jogo no qual o placar poderia ser mais elástico, pela disposição das equipes, a Rhein-Neckar Arena recebeu um confronto ainda mais insano. O Shakhtar Donetsk bateu o Hoffenheim por 3 a 2, com a definição guardada aos 48 do segundo tempo, após três bolas na trave e outras tantas ocasiões geradas.

O primeiro tempo foi maluco o suficiente, com três gols anotados entre os 14 e os 17 minutos. O Shakhtar começou surpreendendo. Abriu o placar a partir de uma boa infiltração de Ismaily pela esquerda, arrematando de trivela. Um minuto depois, em contragolpe, Taison aproveitou o passe de Júnior Moraes para ampliar. O Hoffenheim ao menos não demorou a responder. Andrej Kramaric recebeu pelo meio e definiu com enorme categoria, ao encobrir o goleiro. Já aos 40, aconteceu o empate dos anfitriões. Steven Zuber se valeu de sua inteligência para cabecear e mandar por cima dos oponentes, deixando o cenário indefinido.

A expulsão de Ádám Szalai, recebendo dois cartões amarelos em sequência, atrapalhou o Hoffenheim logo no início do segundo tempo. Mas é fato que qualquer um dos times poderia ter saído com a vitória, em reta final igualmente eletrizante. A partir dos 22 minutos, foram 13 finalizações, sete dos alemães e seis dos ucranianos. Em meio à pressão do Hoffe, Zuber acertou a trave num chutaço de fora da área e quase virou. Além disso, Nico Schulz e Reiss Nelson desperdiçaram chances escancaradas.

O Shakhtar respondeu depois. Taison e Maycon também carimbaram o poste, enquanto o goleiro Oliver Baumann fazia boas defesas. A vantagem numérica permitiu que os visitantes tivessem mais pernas no fim e sufocassem os alviazuis nos instantes derradeiros do jogaço. O gol da vitória saiu no terceiro minuto dos acréscimos, em excelente jogada. A troca de passes com calma foi aproximando a equipe do gol, até que Ismaily cruzasse para Taison resolver. Finalmente era possível respirar aliviado, depois de uma noite tão cardíaca.

O Hoffenheim está eliminado da Liga dos Campeões. Com três pontos, só tem chance de ir à Liga Europa, mas precisará vencer o Manchester City na Inglaterra durante a última rodada. Já o Shakhtar segue vivíssimo na luta pela segunda colocação. Tem cinco pontos, dois a menos que o Lyon, e faz o confronto direto com os franceses pelas oitavas, em Kharkiv. Só a vitória interessa aos Kroty. Caráter não fala, depois do que ocorreu na Alemanha.