Ricardo Goulart foi a grande contratação do Palmeiras em 2019, mas, pelo preço e por chegar com problemas físicos da China, da onde jogadores às vezes retornam com falta de ritmo de jogo em alto nível, houve alguns questionamentos se realmente valia a pena apostar no jogador que brilhou nos títulos brasileiros recentes do Cruzeiro. No entanto, o meia-atacante estreou antes do esperado e, em pouco tempo, já tem demonstrado o quanto pode contribuir para o time de Luiz Felipe Scolari, como nesta terça-feira, na tranquila vitória por 3 a 0 sobre o Melgar, pela fase de grupos da Libertadores.

LEIA MAIS: Palmeiras superou o difícil desafio de Barranquilla, ao melhor estilo Felipão

A estrutura financeira do negócio, no fim das contas, também não foi tão pesada. Goulart chegou emprestado por um ano, com opção de compra, e o clube arca com apenas parte (R$ 600 mil) dos altíssimos vencimentos do jogador do Guangzhou Evergrande. Ao fim do período de empréstimo, o Palmeiras tem a opção de contratá-lo por € 10 milhões – aí, sim, um valor bem alto, mas que será desembolsado ou não dependendo do que o jogador fizer nesta temporada.

A expectativa inicial era que Goulart estreasse apenas em abril. No entanto, seu primeiro jogo de verde acabou sendo contra a Ferroviária, em 17 de fevereiro. Na primeira vez como titular, fez dois gols contra o Ituano. Como na estreia da Libertadores, diante do Atlético Junior, atuou contra o Melgar, nesta terça-feira, na linha de armadores ao lado de Dudu e Gustavo Scarpa, um trio que, se engrenar, promete produzir coisas boas para o Palmeiras.

O gol que abriu o placar contra o Atlético Júnior surgiu da combinação entre Dudu e Scarpa. O primeiro diante do Melgar saiu de cruzamento de Dudu que Goulart desviou na primeira trave e Felipe Melo completou na segunda. No segundo, Scarpa cruzou da direita para Goulart cabecear às redes. O meia-atacante deu um bonito passe de primeira para Deyverson, titular no lugar de Borja, cortar para o meio e matar a partida com um forte chute de esquerda.

Também vale o destaque na partida para Scarpa, que, depois de um ano passado conturbado pelos litígios jurídicos com o Fluminense e uma série de lesões, ganhou uma sequência de jogos no Palmeiras e tem crescido. Levou perigo algumas vezes com seu característico chute de fora da área e quase deixou o seu ao invadir a área sozinho e tentar driblar o goleiro, mas a bola escapou na hora de fazer o gol.

Em casa, contra um adversário tecnicamente inferior, o Palmeiras sofreu muito menos do que na primeira rodada para garantir os três pontos. Não recuou tanto e foi constantemente perigoso para matar a partida, no começo do segundo tempo, e chegar a duas vitórias em duas partidas pela fase de grupos da Libertadores.

.

.