Divock Origi estava com um pé para fora do Liverpool. A diretoria vermelha estava disposta a ouvir propostas pelo atacante belga, que havia passado a temporada passada por empréstimo ao Wolfsburg e entrava no último ano do seu contrato. Ninguém apareceu, e ele foi ficando. Até dezembro, havia disputado apenas 11 minutos contra o Estrela Vermelha pela Champions League. Parecia necessário algo extraordinário para que seguisse em Anfield no futuro. E então…

Origi estreou na Premier League 2018/19 entrando no lugar de Roberto Firmino, aos 39 minutos do segundo tempo do clássico contra o Everton. O placar estava 0 a 0. Aos 51 minutos, ele aproveitou o rebote do travessão e marcou o gol da vitória do Liverpool. 

Seguiu atuando pouco, por volta de uns 15 minutos por partida, e poderia ter ido embora em janeiro, mas, no começo de maio, saiu do banco de reservas contra o Newcastle e, 13 minutos depois, anotou o gol da vitória por 3 a 2 na penúltima rodada da Premier League, que manteve as chances de título do Liverpool para o último fim de semana.

E três dias depois, titular em um time dilapidado pelos desfalques, marcou duas vezes contra o Barcelona, inclusive completando aquele escanteio de Trent Alexander-Arnold, e contribuiu decisivamente para a goleada por 4 a 0 que significou uma das maiores viradas da história da Champions League. 

E depois, em Madri, novamente saindo do banco de reservas, completou um chute cruzado rasteiro para fazer o gol do alívio na vitória por 2 a 0 sobre o Tottenham que valeu ao Liverpool seu sexto título europeu. 

Um gol nos acréscimos para vencer um dérbi. Um gol no fim para salvar a luta pelo título. Dois gols na reviravolta da semifinal e outro na decisão da Champions League. Dá para dizer que Origi não mereceu a renovação do seu contrato? 

“É uma história que apenas o futebol pode escrever”, disse Jürgen Klopp. O treinador lembrou que Origi estava jogando bem em sua primeira temporada em Anfield, antes de sofrer uma lesão no tornozelo. Recuperou-se, mas teve dificuldades para readquirir confiança na temporada seguinte, embora tenha mercado em quatro rodadas seguidas da Premier League. O empréstimo ao Wolfsburg também não deu muito certo.

Voltou, pensando em ir embora, mas acabou ficando e progrediu nos treinos. Foi usado primeiro pela ponta esquerda até a comissão técnica decidir que ele estava pronto para voltar a ser camisa 9. E aí, tudo aquilo aconteceu. 

“Não é um milagre, mas é uma parte legal da história”, acrescentou Klopp. “Não apenas o gol contra o Everton, que já era histórico, mas todo o resto que ele fez contra o Barcelona e especialmente na final é, claro, muito, muito especial, e contra o Newcastle também, ele foi muito decisivo. Mas não apenas os gols, mesmo a maneira como ele jogou foi muito melhor novamente, dava para ver imediatamente”. 

Klopp prometeu um papel importante para Origi na próxima temporada, o que não é improvável. O Liverpool deve ter um mercado pouco movimentado. Talvez trará um atacante dinâmico que possa atuar pelos lados. Há os jovens Rhian Brewster, recuperado de lesão, e Harry Wilson, que se destacou na segunda divisão pelo Derby County. Até segunda ordem, porém, com a saída de Sturridge, Origi pinta como a primeira alternativa para o trio de ataque. 

Isso será importante, particularmente nesta temporada, porque Firmino e Salah acabaram de entrar de férias depois das competições internacionais que disputaram por suas seleções, e Sadio Mané segue na Copa Africana de Nações. O Liverpool disputará sete competições na próxima temporada – além das quatro tradicionais, as Supercopas da Inglaterra e da Europa e o Mundial de Clubes – e precisará recorrer bastante ao seu elenco. 

“Estou muito feliz por poder assinar este contrato. Eu sempre me senti confortável aqui. Eu digo que me tornei um homem neste clube, cheguei aos 19 anos. Quando tivemos que tomar uma decisão, eu queria conversar com o clube primeiro e com a minha equipe, mas o sentimento sempre foi de querer ficar e estender meu contrato. É um clube incrível, temos um bom grupo. Ainda somos jovens e temos muito potencial”, projetou Origi. 

Ainda não foi divulgada a duração do novo contrato de Origi, apenas que será de “longo prazo”.