O domínio do Bayern de Munique na Bundesliga não se limita mais à primeira divisão. Neste sábado, os bávaros comemoraram uma curiosa dobradinha: o Bayern II, a filial onde os garotos alvirrubros se desenvolvem, conquistou também a terceira divisão do Campeonato Alemão. Por conta das regras na liga, o expressinho não pôde consumar o acesso à segundona – organizada pela DFL, assim como a elite. Nada que atrapalhe a relevância do feito, após já terem erguido o troféu da Regionalliga Bayern (a regionalização na quarta divisão) em 2018/19.

Desde a década de 1950, quando a formação de talentos entrou em ebulição no Bayern, o segundo quadro faz boas campanhas nas divisões amadoras. Porém, os principais desempenhos se limitavam a torneios regionalizados. O Bayern II até havia faturado a terceira divisão em 2003/04, mas na época em que era regionalizada, também sem valer acesso à segundona. Paolo Guerrero, Piotr Trochowski e Zvjezdan Misimovic estavam entre os destaques daquele título. Já neste sábado, os bávaros levaram sua primeira taça nacional com o expressinho.

É importante dizer que a conquista do Bayern II pode ser positiva ao clube, mas não é para o Campeonato Alemão. Reforça cada vez mais a noção de que as principais promessas do futebol local se concentram nas categorias de base dos bávaros, mais competitivos que outros clubes que deveriam estar formando talentos – e muitos deles clubes tradicionais, como o Kaiserslautern ou o próprio rival Munique 1860. Com a ampliação da rede de olheiros a diversas partes do mundo e o poderio financeiro da equipe de Munique, porém, esta concentração de poder na fase formativa não surpreende.

O título do Bayern II, ao menos, não foi a barbada que se vê na primeira divisão. Em uma edição extremamente equilibrada da terceirona, os bávaros surpreenderam com sua arrancada na reta final. A equipe não fez um bom primeiro turno e vagava pela metade inferior da tabela, apenas dois pontos acima da zona de rebaixamento em dezembro. A virada do ano faria muito bem ao Bayern II, que passou a colecionar triunfos. Foram 13 vitórias e apenas duas derrotas nas 19 partidas finais, o suficiente para impulsionar os alvirrubros na acirrada competição. Em apenas 12 rodadas, ganharam 15 posições na tabela e lideraram nos últimos cinco compromissos.

Nesta caminhada final, o Bayern II venceu o clássico contra o Munique 1860. Já na última rodada, com um ponto de vantagem, a equipe levou a taça mesmo com a derrota por 1 a 0 para o Kaiserslautern no Estádio Fritz Walter. O Eintracht Braunschweig havia assegurado o acesso no meio da semana. Neste sábado, o Würzburger Kickers também subiu, graças a um empate arrancado aos 48 do segundo tempo. A vaga nos playoffs de acesso ficou com o Ingolstadt, que enfrentará o tradicionalíssimo Nuremberg, antepenúltimo colocado da segundona. Caíram na terceirona Carl Zeiss Jena, Sonnenhof Grossaspach, Preussen Münster e Chemnitzer.

O Bayern II é treinado por Sebastian Hoeness – filho do antigo ídolo Dieter Hoeness e sobrinho do presidente honorário Uli Hoeness. Já dentro de campo, o destaque foi o centroavante Kwasi Okyere Wriedt – que, aos 25 anos, defenderá o Willem II na próxima temporada. Dentre os mais jovens, nomes como Lars Lukas Mai, Leon Dajaku, Malik Tillman e Sarpreet Singh reivindicam seu espaço, assim como fez o já promovido Joshua Zirkzee. Resta saber como será aproveitada essa geração vencedora num elenco tão competitivo como o principal do Bayern. A maioria só deve ter mais espaço em outros clubes.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore